Prós e contras do consumo de matchá (chá verde japonês moído)

O matchá é uma bebida originária da China produzida a partir das folhas da Camellia sinensis, a mesma planta utilizada para fazer chá verde, chá branco, chá preto e chá oolong. O Matchá é um dos chás mais utilizados nas cerimônias dos chá budistas, sendo conhecido como o elixir da saúde.

O machá é rico em EGCG, antioxidante que protege células do cérebro, melhora a imunidade e reduz o risco de câncer. Também é fonte de L-teanina, aminoácido que acalma a mente e favorece o sono e a meditação.  

Para a produção de matchá a Camellia sinensis é cultivada sob abrigo da luz. Assim, produz mais clorofila e torna-se mais verde. Os melhores brotos são recolhidos à mão e depois secos e triturados. O machá pode ser consumido puro, misturado no café, a sucos ou em preparações como pudim de chia ou mingau de aveia. 

Uma preocupação é que algumas marcas parecem ter 30 vezes mais chumbo do que o chá verde. O chumbo é um metal pesado que, em alta quantidade no corpo, pode causar intoxicação gerando falta de apetite, dor de cabeça, irritabilidade, distúrbios visuais, redução da mielina dos nervos, alucinações, convulsões, anemia, alterações no sistema reprodutor, renal e hepático, hipertensão arterial, câncer, má formação fetal, hiperatividade, queda do rendimento escolar, piora da memória e infecções respiratórias.

As folhas da camellia Sinensis absorvem o chumbo do ambiente. O chumbo pode chegar às folhas devido a poluição ambiental ou ao uso de agrotóxicos. Estudos mostram que 32% do matchá originado da China está altamente contaminado. O mesmo não acontece com os chás originários do Japão. 

O matchá contém cerca de 90% mais chumbo que o chá verde convencional. Isto acontece porque no chá verde as folhas são fervidas e depois descartadas. Já no matchá as folhas são moídas e usadas nas bebidas ou alimentos.

matcha.jpg

Muita gente usa o matchá ou o chá verde na água de cozimento de vegetais ou cereais. O problema é que o EGCG da Camellia sinensis quela metais como zinco, cobre e ferro, que serão menos absorvidos.

Mesmo assim, se você nunca teve anemia, tem a imunidade ótima e deseja cozinhar com o matchá compre um produto orgânico e de boa origem.

Seguem algumas combinações de bebidas com matchá (complete com mais água se necessário):

1) Bata 1/2 banana congelada, 1 copo de leite de amêndoa, 1/2 xícara de gelo picado, 1 colher de chá de matchá em pó.

2) Bata 1/2 copo de suco de laranja, 1/3 xícara de amoras ou blueberries (mirtilos), 1/3 xícara de morangos, 2 colheres de sopa de matchá em pó.

3) Bata 1 xícara de manga, 1/2 xícara de abacaxi, 1 colher de sopa de matchá em pó.

4) Bata 1 colher de chá de matchá em pó, 1 xícara de leite morno, 1/3 xícara de água morna, 1 colher de chá de mel.

5) Bata 3/4 xícara de leite ou extrato vegetal, 1 xícara de água quente, 1 colher de chá de matchá em pó, mel ou agave.

6) Bata 3/4 xícara de água com gás, 2 colheres de sopa de água morna, 1 colher de chá de mathcá em pó, gelo, gotas de limão.

7) Bata 1/2 xícara de suco de laranja, 1/4 xícara de água morna, 1 colher de chá de matchá em pó, mel ou estévia.

8) Bata o suco de 1/2 limão com 1 colher de chá de matchá em pó, 2 colheres de sopa de gengibre ralado, gelo, agave.

9) Bata 1/2 xícara de pepino picado, 1/4 xícara de suco de cenoura, 1/4 xícra de gelo, folhas de espinafre, 1 copo de iogurte natural, 2 xícaras de chá de matchá em pó.

Você encontrará vídeos sobre os chás em meu canal YouTube.com/dicasdanutricionista

Deixe seu comentário.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags ,