Bebidas que protegem seu sistema cardiovascular

Bebidas funcionais são produtos não alcoólicos que incluem ingredientes não tradicionais em sua composição (como ervas, vitaminas, minerais e antioxidantes) na tentativa de promover benefícios que vão além da nutrição do organismo.

Um antioxidante é uma molécula capaz de inibir a oxidação (perda de elétrons ou "enferrujamento") de células e moléculas. Fazem isso doando elétrons. Exemplos de substâncias capazes de fazer esta doação são a vitamina C e os polifenóis (presentes em frutas e verduras) e os tióis, compostos organosulfurados (que contém carbono e enxofre), como a glutationa, o aminoácido cisteína e a coenzima A.

Alguns alimentos são ricos em polifenóis como o azeite de oliva extra virgem (não aquecer), o vinho tinto e os chás. Os flavonóides são a principal família de polifenóis e estão presentes como antocianinas nas frutas e legumes roxos, como antocianidinas (semente de uvas vermelhas e pretas, repolho roxo, casca da maçã, folhas do mirtilo e ginkgo biloba) ou como antoxantinas, compostos sem cor divididos nas categorias: flavonas, isoflavonas, flavanóis e flavonódes.

Um desequilíbrio entre substâncias oxidantes (como os radicais livres) e antioxidantes leva ao estresse oxidativo, condição potencialmente danosa e que aumenta o risco de câncer, diabetes, aterosclerose, derrame, trombose venosa, insuficiência renal crônica, doença de Parkinson e mal de Alzheimer. Uma das formas de reduzir o risco de doenças crônicas é protegendo o endotélio vascular, a camada de células que reveste o interior dos vasos (Rajendran et al., 2013).

Um endotélio saudável possui boa capacidade de vasodilatação, suprime a trombose, a inflamação vascular e a hipertrofia celular. Este esquema mostra a diferença do endotélio saudável (A) e do endotélio disfuncional (B). Para saber mais:  Rajendran et al., 2013

Um endotélio saudável possui boa capacidade de vasodilatação, suprime a trombose, a inflamação vascular e a hipertrofia celular. Este esquema mostra a diferença do endotélio saudável (A) e do endotélio disfuncional (B). Para saber mais:  Rajendran et al., 2013

Após 40 a 50 anos de vida o endotélio passa a não funcionar muito bem, produzindo menos óxido nítrico, responsável pela dilatação dos vasos (Vogel, 1999). Por isso, é mais comum a pressão arterial aumentar após a 4o ou 5a década de vida. Porém, a idade não precisa determinar a perda da função endotelial. Na população chinesa, por exemplo, o endotélio permanece saudável por muito mais tempo (Woo et al., 1997).

Um dos motivos parece ser o alto consumo de chá verde (Alexopoulos et al., 2008). O chá possui flavonóides que neutralizam os radicais livres, protegendo contra a disfunção endotelial e o aparecimento de várias doenças.

Assim como o chá verde, maçãs são ricas em flavonóides.  Os principais flavonóides do chá verde são as catequinas, especialmente epicatequinas, galocatequinas, epigalocatequina-3-galato, epicatequina-3-galato. Já a mação possui outros flavonóides protetores como  a quercetina e seus glicosídeos. As maçãs também são ricas em outras substâncias protetoras como vitamina C e ácido clorogênico. Se você não gosta de chá verde uma das opções é misturá-lo então com a maçã. 

É o que sugere o estudo de Rubio-Perez e colaboradores (2014). No artigo os autores demonstram como prepararam o suchá. Para fazer 1 litro da bebida faça o chá verde (16 gramas de folha de camelia sinensis) em 842 ml de água quente. Coe e misture com 100 ml de suco de maçã concentrado, sumo de 1 limão concentrado. Na pesquisa os autores também adicionaram 58g de trehalose (um tipo de açúcar), mas você pode deixar sem açúcar nenhum na minha opinião.

Outro chá que parece reduzir a disfunção endotelial tanto quanto o chá verde é o chá preto (Jochmann et al., 2008). Mas não vale misturar o chá preto com leite, neste caso o risco de doença cardiovascular permanece alto (Lorenz et al., 2007Wang et al., 2011).

 

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.