Quer emagrecer? Antes da dieta cuide do seu cérebro.

Dificuldade em seguir uma dieta ou plano de exercício? O problema pode ser seu cérebro inflamado. Quando nascemos temos cérebros muito parecidos. Contudo, ao longo da vida vamos sendo expostos a diferentes condições e nosso cérebro vai se modificando. 

O cérebro é o órgão mais complexo do nosso corpo. Pesando no adulto apenas 1,5 kg controla tudo, como um super computador. Por isto, consome 25% das calorias consumidas diariamente, recebe 25% do fluxo sanguíneo e 20% de todo oxigênio inspirado. Estima-se que o cérebro contenha mais de 1 bilhão de células nervosas. Muitos fatores podem modificar o funcionamento do cérebro:

  • Trauma craniano
  • Uso de drogas 
  • Abuso de medicamentos
  • Consumo excessivo de álcool
  • Obesidade e lipotoxicidade
  • Anormalidades endócrinas
  • Carências nutricionais
  • Inflamação crônica
  • Sedentarismo
  • Estresse crônico
  • Tabagismo
  • Desidratação
  • Pensamentos negativos
  • Falta de descanso

Para proteger o cérebro precisamos de uma dieta adequada, suplementação no caso de carências nutricionais, exercícios, quantidade de sono adequada, técnicas de controle do estresse (meditação, prática da gratidão, relaxamento, atividade física, sexo), e tratamentos no caso de desequilíbrios hormonais e/ou doenças físicas ou mentais.

No caso do emagrecimento o tratamento do cérebro também é muito importante. Comedores compulsivos ficam presos nos pensamentos a respeito da alimentação. Quando vou comer, o que vou comer, quanto vou comer são preocupações constantes. Muitos comedores compulsivos são também pouco flexíveis, preocupam-se demais, sentem raiva quando são contrariados. A atividade do giro cingulado, no cérebro, pode estar diminuída em geral por baixa produção de serotonina. Dietas hiperproteicas, medicamentos para emagrecimento, estimulantes como ritalina podem piorar a situação. Já 5-HTP, L-triptofano, erva de São João e inositol tendem a estimular a produção de serotonina reduzindo os sintomas compulsivos. Outras atividades importantes incluem atividade física e yoga.

Comedores impulsivos geralmente possuem dificuldades em controlar seus comportamentos. Podem possuir baixa atividade no córtex prefrontal devido a menor produção de dopamina. Nestas situações há uma maior tendência à distração, tédio e impulsividade. Por exemplo, crianças com déficit de atenção não tratadas possuem maior risco de desenvolverem sobrepeso (Pagoto et al., 2009; Waring & Lapane, 2008).

Comedores impulsivos também podem ter passado por traumas cranianos ou terem sido expostos a neurotoxinas. Dietas ricas em carboidratos, suplementos como o 5-HTP e medicamentos como Prozac, Zoloft e Lexapro podem piorar o quadro. Já o extrato de chá verde e o suplemento rhodiola reduzem a impulsividade e o ganho de peso nestes casos. A atividade física e o yoga contribuem para o aumento do fluxo sanguíneo e maior produção de dopamina no cérebro. Ter objetivos claros (peso, rotinas de exercícios, alimentação etc) também parece contribuir para a perda de peso.

Comedores compulsivos-impulsivos são altamente emotivos. Exames como SPECT scans mostram baixa atividade do córtex prefrontal e alta atividade do giro cingulato anterior. É comum em pessoas cujas mães fizeram alto consumo de álcool na gestação. Tratamentos que aumentam dopamina e serotonina simultaneamente (extrato de chá verde associado a 5-HTP) são mais eficientes. Além disso, atividade física ajuda bastante.

Comedores emocionais. Se você come como remédio para a dor, tristeza ou tédio precisará combinar tratamentos. Se você está deprimido ou com baixa autoestima precisará procurar profissionais habilitados nestas áreas específicas. Comedores emocionais também possuem mais frequentemente carência de vitamina D. Por isto a dosagem regular da 25-hidroxi vitamina D plasmática é recomendada. A atividade física aumenta o fluxo sanguíneo no cérebro facilitando a produção de neurotransmissores importantes para o bem estar. A prática da gratidão e da meditação também melhoram os níveis de bem estar (Kristeller, 2003).

Comedor ansioso. A ansiedade muitas vezes relaciona-se com o aumento da atividade do gânglio basal. Pode ser acompanhada de medo, tensão muscular, dores de cabeça ou abdominais, palpitações cardíacas, dificuldade respiratória e nervosismo.  A suplementação de vitamina B6 e magnésio contribui para a maior produção de GABA, neurotransmissor relaxante. Yoga, meditação e outras terapias integrativas que promovem o relaxamento contribuem para a redução da ansiedade, da compulsão e para o emagrecimento.

Deu pra perceber que o cérebro é importantíssimo para o emagrecimento, não é? Dieta antiinflamatória, descanso, lazer, paz, yoga, meditação, suplementação são estratégias importantes para a proteção do mais importante dos órgãos e também para o emagrecimento.

Próxima turma de formação em terapias integrativas começa dia 15/06/17. Saiba mais aqui.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!