Idosos saudáveis possuem intestino saudável

Intestino e cérebro estão conectados de várias formas, pelo nervo vago, por vasos linfáticos e também por substâncias que passam pelo sangue e sinalizam o que está acontecendo com os tecidos. Estudos mostram que um intestino inflamado gera mais neuroinflamação e maior risco de acúmulo de placas beta-amilóides e Alzheimer.

Intestino-cerebro.png

 envelhecer com saúde? Essa pergunta é tão importante quanto difícil de ser respondida. Sabemos que estilo de vida é tão crucial quanto a genética, mas não o quê, exatamente, faz a diferença entre uma velhice difícil e uma velhice saudável.

Na China, um estudo mostrou que os idosos com saúde acima da média tem um conjunto de bactérias intestinais (microbiota) quase idêntico ao de pessoas na faixa etária dos 30 anos (Bian et al., 2017)

Normalmente, conforme uma pessoa envelhece menor se torna a diversidade de bactérias boas (probióticas) no intestino). É neste momento que as bactérias oportunistas, causadoras de doenças, ganham espaço.  Mas a queda na biodiversidade do intestino não precisa ser obrigatória. A dieta saudável, rica em frutas, hortaliças, fibras, micronutrientes e a reposição de probióticos em momentos chave preserva a saúde intestinal, reduz a produção de toxinas e a inflamação do tecido.

Para saber mais sobre o tema converse com seu nutricionista.

Deixe seu comentário.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!