A arritmia cardíaca é a principal causa de morte súbita no mundo. Saiba o que fazer para reduz o risco.

Morte súbita é a morte inesperada, instantânea, ou que ocorre na primeira hora após o início dos sintomas. Distúrbios no ritmo do coração fazem com que suas contrações sejam menos eficientes. Na maior parte das pessoas, a frequência cardíaca varia entre 60 e 80 batimentos por minuto. Mas a frequência pode aumentar durante a atividade física ou estresse e diminuir durante o repouso, sono ou em indivíduos bem condicionados fisicamente. É considerada uma taquicardia um aumento da frequência cardíaca acima de 100 batimentos por minuto. São anormalidades quando ocorrem em repouso ou durante o sono. 

A morte é, na maioria das vezes, causada por parada cardíaca devido à arritmia. Contudo, as disfunções cardíacas também podem ser oriundas de obesidade, diabetes, hipertensão arterial mal controlada, isquemia, infarto, problemas genéticos ou congênitos ou doença de chagas. 

Os sintomas da arritmia incluem palpitações, "batedeira" no peito, sensação de falhas dos batimentos cardíacos, cansaço, tontura, mal-estar ou desmaios. Como a parada cardíaca pode ser repentina (sem aviso prévio) a regra básica é não esquecer da avaliação de rotina, que deve ser anual. Além disso, o cardiologista deve ser procurado caso apareçam sintomas como escurecimento da visão, falta de ar, dor no peito, cansaço excessivo ou síncopes (perda da consciência).

Dependendo da condição do paciente podem ser prescritos medicamentos para controle d ritmo cardíaco ou procedimentos como ablação ou implante de desfibriladores (marcapasso). Indivíduos com arritmias devem controlar o peso e praticar atividade física moderada. A atividade física de alta intensidade nem sempre é recomendada pois aumenta a quantidade de substâncias inflamatórias no sangue causando ainda mais danos cardíacos.

Para reduzir a inflamação corporal adote uma dieta baseada em frutas e verduras, consuma mais açafrão, gengibre, chás e menos carnes (principalmente processadas), açúcar e farináceos. 

Saiba mais sobre o tema no site da SociedadeBrasileira deArritmias Cardíacas (SOBRAC).

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!