Segurança da suplementação no autismo

Muitos fitoterápicos, flavonóides, vitaminas e minerais com propriedades antioxidantes são utilizados no autismo com o objetivo de reduzir a inflamação, tratar a disfunção mitocondrial e reduzir toxicidades. (Theoharides, Asadi and Panagiotidou 2012). Apesar de a maioria das pessoas com transtornos do espectro do autismo não apresentarem nenhum efeito adverso com o uso de suplementos de curcumina, epigalocatequina, picnogenol, vitaminas e minerais em quantidades apropriadas, alguns cuidados são necessários.

Interações e efeitos adversos são mais comuns quando há uso de múltiplos suplementos ou medicamentos. Por isto, o uso de qualquer substância, mesmo que "natural" deve ser informado ao médico e feito com acompanhamento nutricional. Algumas interações comuns são indicadas na tabela:

Fonte:

Theoharides, T.C., Asadi, S. (2012). Unwanted interactions among most common treatments in autism. Autism Science Digest, 3, 115-124.

Saiba mais no curso online "Alimentação e Suplementação no Autismo".

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags