O que você quer? (E está fazendo o que precisa para conseguir?)

Se você pudesse jogar tudo pro alto e fazer exatamente o que quer, o que seria? E isso te faria realmente feliz? Estaria de acordo com seus valores e sua vocação (aquele impulso que você tem para cuidar de alguma necessidade do mundo)? E o que te impede de começar? De ter uma vida mais plena, satisfatória, cheia de propósito?

Todo mundo tem muitos sonhos. Alguns vão sendo alcançados, outros vão sendo adiados ou deixados de lado. O problema é que quando deixamos coisas importantes de lado nossa vida fica sem graça, sem finalidade. 

Algumas pessoas deixam de cuidar da saúde, outras deixam de dar tempo de qualidade para quem importa (filho, marido, esposa, pais, amigos), outros deixam de contribuir no trabalho e tem aqueles que param de vez de sonhar. Podem achar que tudo é difícil demais, que as coisas não acontecem, que não vale a pena investir tempo, dinheiro ou estudo em algo. Observe se não está dando desculpas para não fazer algo que é importante demais para você. Muita gente é especialista em sabotar os próprios sonhos ("sou muito novo", "sou muito velho", "não tenho dinheiro", "não fiz faculdade", "não sou bonito", "não sou alto", "não sou magro", "o que os outros vão pensar?", "o que os outros vão dizer?" e por aí vai).

Se você acha que seu sonho é grande demais, que tal dividir tudo em pequenos objetivos? Não importa se o que você quer é mudar de carreira, viajar o mundo, comprar uma casa, casar, emagrecer 20 kg, montar uma ONG, correr uma maratona... Aventure-se. Coloque sua meta no papel e rascunhe quais serão os pequenos passos, como será o percurso. Esse mapa vai te ajudar a se manter no foco. Pequenos objetivos podem mudar, podem ser adaptados ao longo do caminho. Não há problema. A vida é assim mesmo. O importante é começar, mesmo sem ter 100% de certeza sobre o que é isso que você quer ou sobre qual seria o melhor caminho a percorrer. 

Trabalhei na área de educação por mais de uma década e via muito isso em meus alunos. Não sabiam para onde estavam indo e iam ficando desesperados. Ou sabiam onde queriam chegar mas se perdiam no meio, angustiados com a demora do processo, angustiados sobre o futuro. Dar aula não era nada, muito mais desafiador era motivar um aluno prestes a desistir no final do curso, não porque houvesse descoberto outra vocação, mas por medo. Medo de errar, medo de fracassar, medo de não conseguir se sustentar, medo de arriscar... Os medos eram tão comuns que decidi trabalhar ferramentas de coaching com eles em sala de aula. 

Os alunos foram se fortalecendo, contando sobre as aulas para outros alunos e mais gente foi se interessando. Para conseguir ajudar todo mundo que me procurava acabei juntando todo o material em um curso online para estudantes e profissionais de saúde. O curso aborda ferramentas de coaching, ferramentas de autocoaching, ferramentas para alavancar a carreira ou o negócio dentre muitos outros conteúdos. Para saber mais clique aqui.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.
Tags