Inflamação, envelhecimento e câncer

A inflamação, a dieta inadequada, a disbiose intestinal e o envelhecimento (inflammaging) estão entre os importantes fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer  (Karin, 2009).

Legenda: EROs - Espécies reativas de oxigênio; cmtDNA - DNA mitocondrial circulante; miRs - microRNAs; NF-kB fator de transcrição nuclear-kB.

Legenda: EROs - Espécies reativas de oxigênio; cmtDNA - DNA mitocondrial circulante; miRs - microRNAs; NF-kB fator de transcrição nuclear-kB.

A obesidade está entre os fatores  aumentam a inflamação e o aumento do risco de diversos tipos de câncer. Assim, a perda de peso, a atividade física e a dieta rica em frutas, verduras, cereais integrais, legumes e ômega-3 são estratégias recomendadas já que protegem contra uma série de doenças, inclusive o câncer (Ostan et al., 2015).

Conforme envelhecemos a inflamação torna-se cada vez mais comuns. Por isto, os cuidados com a saúde devem ser redobrados. Alimentos com propriedades antiinflamatórias devem ser consumidos em abundância. Chás, abacate, abóbora, abobrinha, acelga, batata doce, castanha do Brasil, cebola, alho, cenoura, feijão, leite de soja, salmão, tomate, uvas e cogumelos. Como dietas ricas em fibras também reduzem a inflamação, consuma pelo menos 400 gramas de frutas e verduras diariamente.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!