Segurança alimentar no mundo - relatório FAO 2017

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e a Agricultura (FAO) acaba de lançar o relatório 2017 sobre segurança alimentar. De acordo com a instituição a produção mundial de alimentos é mais do que suficiente para alimentar a todos. Mesmo assim 800 milhões de pessoas (11% da população mundial) passam fome. O segundo objetivo de desenvolvimento sustentável do milênio é justamente acabar com a fome no mundo. A população mundial deve crescer em mais 2 bilhões de pessoas até 2050. Seremos ao todo 10 bilhões de pessoas no mundo e para a FAO a produção de alimentos até lá precisará dobrar. 

objetivos_port.png

Algumas partes do mundo enfrentam mais problemas relacionados à miséria e a fome como regiões da África sub-saariana, que contém os países africanos situados ao sul do deserto do Saara, Sudeste e Oeste da Ásia, especialmente em situações de conflito e devido a problemas climáticos. 

A Síria, por exemplo, antes um país próspero, vive hoje uma situação em que 85% dos residentes se encontram em situação de pobreza. Após 6 anos de conflitos armados grandes perdas nos setores de agricultura e infraestrutura são contabilizados.

Síria

Síria

O número de pessoas mal nutridas no mundo voltou a aumentar especialmente após 2014 atingindo em 2016 cerca de 815 milhões de pessoas, de acordo com a FAO. Destas, 489 milhões vivem em países afetados por conflitos e guerras. Devido a conflitos em seus países estima-se que existam hoje quase 5 milhões de refugiados no mundo.

Nas crianças a má nutrição é agravada pelo baixo percentual de mulheres que conseguem amamentar os bebês exclusivamente até o 6o mês de vida. Para a FAO o aleitamento materno exclusivo preveniria 820.000 mortes em crianças por ano e 20.000 mortes por câncer em mulheres no mundo. No Brasil apenas 38,6% das mulheres conseguem aumentar exclusivamente seus bebês até o 6o mês de vida. Dificuldades na amamentação, doenças, falta de apoio, interferências externas, volta ao trabalho, cansaço são alguns dos fatores que interferem no aleitamento.

Mas a má nutrição nem sempre é vista a olho nu, a não ser na desnutrição extrema. Mas muitas pessoas com acesso apenas a carboidratos simples (como arroz e açúcar) também encontram-se mal nutridas, mesmo que estejam acima do peso considerado ideal. No Brasil 20,8% da população adulta tem obesidade.

A anemia também continua sendo um problema, atingindo 27,2% das mulheres em idade reprodutiva. A melhoria do estado nutricional da população mundial depende de alimentos de qualidade e na quantidade adequada. Além disso exige para todos:

  • Acesso à água limpa
  • Saneamento Básico
  • Serviços de saúde de qualidade
  • Oportunidades educacionais e de emprego para todos

Esta é uma página sobre nutrição e qualidade de vida e não um blog político mas não podemos esquecer que o Brasil enfrenta seus próprios problemas. Enquanto cada um continua defendendo e brigando por seu malvado favorito (escolha o seu: Temer, Lula, Bolsonaro, Cunha, Aécio Neves, Renan Calheiros, José Dirceu, Guido Mantega, Palocci, Jucá, Sérgio Cabral, Pezão, Eliseu Padilha, José Serra, e por aí vai) a impunidade se perpetua, bloqueada por leis projetadas pelas mesmas pessoas que estão sendo investigadas.

Político é aquele que zela pelo bem comum. Por isso, se queremos desbloquear nosso desenvolvimento, se queremos qualidade de vida para todos, se queremos um país (e um mundo) sem fome não podemos perder a oportunidade deixando  os poderosos impunes, permitindo uma reforma política fajuta, nos alienando (2018 e as novas eleições já, já estarão aí). E para votar não precisamos brigar e sim nos mantermos firmes dentro dos valores humanos e com a convicção de que viver sem democracia é muito pior.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!