Alimentos cancerígenos?

Muito se escreve sobre os alimentos com propriedades antiinflamatórios, antioxidantes e protetoras do DNA. Hoje vou falar dos alimentos ultra-processados que, ao contrário, aumentam o risco de desenvolvimento de câncer.

Alimentos tostados

Produtos de padaria, torradas, biscoitos e outros alimentos amiláceos douradinhos e submetidos a altas temperaturas são ricos em acrilamidas, um provável carcinógeno, de acordo com agências da Inglaterra e dos Estados Unidos. Anunciantes da TV também estão faturando alto convencendo um monte de gente a comprar máquinas que "fritam" a ar. Pois é... Dá-lhe acrilamida nas supostas batatas saudáveis, nuggets com menos gorduras, bolos e tortas. Cozinhe com menos calor. Sua saúde agradece! 

Tudo de arroz

Produtos industrializados são muito convenientes. Economizam tempo de preparo, estragam com menos facilidade. Mas vejo gente trocando todos os lanches por produtos a base de arroz, (bolachinhas de arroz, bolos de arroz, cookies de arroz, leite de arroz, papinhas para bebês) achando que são super saudáveis por não conterem glúten. Contudo, o arroz pode veicular altos níveis de arsênico, metal pesado associado a maior risco de câncer, doenças vasculares, hipertensão e diabetes tipo 2. Por isto, o ideal é não nos expormos demais. Vamos deixar o alimento apenas para as refeições principais. Além disso, antes de cozinhar lave o arroz abundantemente (5 a 6 lavadas). Cozinhe o alimento com bastante água (6 xícaras de água para cada xícara de arroz) para reduzir a quantidade de arsênico. Troque, em alguns dias da semana, o arroz pela quinoa ou pelo arroz falso de couve flor. 

  • ½ couve-flor
  • ½ xícara (chá) de cebola ralada
  • 1 dente de alho amassado
  • Sal e pimenta do reino a gosto
  • 1 colher (sopa) de salsinha picada

Lave a couve-flor em água fria e seque bem. Usando um ralador de queijo, rale a couve-flor no ralo grosso. Numa frigideira, refogue a cebola e o alho até que a cebola esteja transparente. Acrescente a couve-flor e deixe refogar por cerca de 5 minutos. Tempere com sal e pimenta. Polvilhe com salsinha e sirva em seguida.

Sorvete

Aditivos como o emulsificante polisorbato 80 e a carboximetilcelulose aumentam a inflamação intestinal, podendo acelerar o desenvolvimento de tumores (Viennois et al., 2016). Os emulsificantes atuam como detergentes. Quando chegam no intestino alteram a microbiota (flora) fazendo com que bactérias expressem mais flagelina e polissacarídeos, os quais ativam a expressão de genes que levam a resposta imune inflamatória. Por isto, sorvetes e outros alimentos industrializados como pizzas, burritos e opções de cadeias de fast-food acabam aumentando o risco de câncer.

Embalagens

Até as embalagens destes alimentos vem sendo investigadas. As mesmas veiculam altas quantidades de fluor, o que leva a alterações na imunidade. Em estudo publicado por Schaider e colaboradores (2017), o fluor foi identificado na embalagem de mais de 56% das embalagens de doces e pães analisadas. Para se expor menos dê preferência a alimentos frescos, evite o uso de embalagens plásticas, consuma menos pipoca de microondas (sim, as embalagens das pipocas não são nada legais!).

Carnes processadas

O processamento com nitratos e nitritos e a cocção a altas temperaturas aumentam o risco de vários tipos câncer. De acordo com a Organização Mundial de Saúde o consumo de 50g diários de carnes vermelhas ultraprocessadas (presente em 2 fatias de bacon grandes ou 3 fatias de salame ou 1 ½ fatia média de mortadela ou presunto) pode aumentar em 18% o risco para desenvolver câncer colorretal.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!