"Fiz cirurgia bariátrica e voltei a ganhar peso. O que faço?"

Esta é uma pergunta muito comum. Apesar da cirurgia bariátrica ou redução de estômago ser uma técnica eficiente para a perda de peso, muitas pessoas mostram-se frustradas por não atingirem as metas de peso estipuladas antes da cirurgia. Além disso, muita gente perde 20, 30 ou 40 kg e depois se desespera ao engordar tudo de novo ao longo dos anos.  Isto pode acontecer por vários motivos. Um deles é bem comum entre obesos: o fato de passarem muito tempo ignorando as sensações de saciedade do corpo. Quando não ouvimos o que o corpo tem a dizer, como "já estou satisfeito", comemos mais do que precisamos. E não é fácil mudar hábitos alimentares ruins de uma vida toda, mesmo após a cirurgia bariátrica.

Para que os efeitos positivos da cirurgia sejam alcançados, precisará acontecer um esforço de cada paciente para voltar a ouvir esses sinais do corpo. Aprender a comer de forma consciente, prestando toda a atenção ao alimento torna-se uma das importantes ferramentas a serem aprendidas por quem quer fazer ou já fez a cirurgia.

A alimentação consciente é uma técnica que ajuda a pessoa a relaxar, se aceitar, aproveitar o momento, ouvir o que o corpo diz e ainda emagrecer. Por meio de meditações e exercícios a habilidade de focar no que importa, como a própria saúde aumenta. A habilidade de tomar melhores decisões também, assim como a habilidade de dizer não a algo que não esteja gostoso, cheiroso ou trazendo bem estar para o corpo e para a alma.

Em seu livro "Silêncio", a monja Thich Nhat Hanh explica que durante retiros os presentes praticam uma tarefa chamada silêncio nobre. Trata-se de uma prática simples. Quando estão conversando conversam. Mas quando estão fazendo qualquer outra coisa (comendo, caminhando, trabalhando) não conversam e focam apenas no que estão fazendo. 

O foco verdadeiro também envolve não se preocupar com o passado nem com o futuro. O foco verdadeiro se mantém apenas no presente. Assim, se alimentar se torna a atividade do momento. Com a prática de alimentação consciente o gastrectomizado aprende a reconhecer preocupações, medos, raiva ou qualquer outro estado mental que distraia da experiência de comer. O objetivo é trazer a consciência e a atenção novamente ao alimento, sua aparência, textura, aroma, sabor. Aos efeitos que o alimento desencadeia no corpo após cada mastigada e assim por diante.

Para fazer isso é importante eliminar distrações como o telefone, a televisão, o computador do momento das refeições. Os conceitos da alimentação consciente são descomplicados e seus exercícios são fáceis de reproduzir. Mastigar bem, comer devagar, prestar atenção na seleção, preparo e consumo de alimentos são coisas que todos podem dominar. Treinamentos duram entre 10 e 12 semanas, dependendo do seu ritmo.

Estudos mostram que pacientes que praticam as técnicas de alimentação consciente por 10 semanas controlam melhor o consumo de alimentos em momentos de estresse (Chacko et al., 2016).

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.