Episódio 25 - Dia internacional da Síndrome de Down: os desafios da nutrição

A maior parte das pessoas não pensam nas dificuldades de pessoas com Síndrome de Down, a não ser que conheça alguém muito próximo. Um amigo, um parente, um filho. Igualmente também não conhecem as inúmeras alegrias trazidas por uma criança com a síndrome. Hoje comemora-se o Dia Internacional da Síndrome de Down e no mundo todo inúmeros eventos acontecerão simultaneamente, visando aumentar a conscientização da sociedade acerca de tudo que envolve a trissomia do cromossomo 21.

Infelizmente a síndrome ainda é bastante negligenciada na área da nutrição. Ela sequer é debatida em muitos cursos. E isto precisa mudar com urgência. Quantas vezes os pais buscam atendimento, educam-se, leem artigos e encontram profissionais de saúde desinformados acerca de questões básicas?

Crianças com síndrome de Down apresentam maior número de infecções respiratórias de repetição. A nutrição é fundamental já que a carência de nutrientes como vitamina A, zinco, ferro, vitamina C e selênio pode agravar o problema. Um intestino saudável também contribui imensamente para a melhoria da imunidade. O uso de antibióticos muitas vezes desregula o delicado equilíbrio da microbiota, fazendo com que o uso de probióticos e a suplementação de nutrientes que restauram a mucosa intestinal sejam indicados.

Um problema que atinge cerca de 40% dos indivíduos com síndrome de Down é o hipotireoidismo. O funcionamento adequado da tireóide depende do adequado consumo de aminoácidos, zinco e selênio. Além disso, a identificação precoce do hipotireoidismo é fundamental para que não afete o crescimento, o desenvolvimento, o humor, o metabolismo do cálcio, o funcionamento intestinal...

Distúrbios do sono também podem ocorrer influenciando a aprendizagem e a saúde. A higiene do sono é muito importante, assim como o combate ao estresse. Além disso, o adequado estado nutricional é muito importante para a produção de melatonina, hormônio que induz o sono. Assim, deve-se investigar minimamente o consumo de nutrientes como vitamina B6, ornitina e triptofano.

Uma grande preocupação é a grande incidência de doença de Alzheimer em indivíduos com Síndrome de Down. Os custos financeiros, emocionais e familiares na doença de Alzheimer são grandes e aumentam na ausência de uma terapêutica que retarde a progressão da mesma. Grande parte dos estudos focam hoje na neutralização dos radicais livres e na redução da inflamação cerebral com o intuito de se evitar a morte celular e a demência. E a nutrição tem um papel grande nisto tudo. 

Já escrevi algumas vezes sobre estes assuntos aqui no Blog. Se quiser saber mais clique aqui.

Preferiu a gravação? Para não perder nenhum episódio assine o podcast NutriYoga no iTunes.

Ou se quiser ouvir os episódios antigos em seu computador clique aqui.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!