Polimorfismo da enzima MTHFR aumenta o risco de abortos e malformações do sistema nervoso central

Fonte da imagem: Bydlowski et al., 1998

Fonte da imagem: Bydlowski et al., 1998

O ácido fólico pertence ao grupo das vitaminas hidrossolúveis do complexo B. Esta vitamina é fundamental para a saúde mas como o organismo humano não é capaz de produzí-la o consumo dietético é fundamental. Alimentos como vegetais verde escuros e cogumelos são boas fontes de B9, que no corpo deve ser convertida em sua forma ativa (5-metil-tetrahidrofolato) para que possa exercer seus efeitos. 

A deficiência de vitamina B9 ou a incapacidade de conversão do ácido fólico em 5-metil-tetra-hidrofolato pode ocasionar fadiga, anemia megaloblástica, lesões nas mucosas, defeitos no tubo neural, insuficiência respiratória, anorexia, apatia, insônia, problemas de memorização, problemas de crescimento, abortos, depressão e elevação dos níveis de homocisteína, aumentando os riscos do desenvolvimento de doenças cardiovasculares.

A enzima Metileno-Tetra-Hidro-Folato-Redutase (MTHFR) é a responsável pela conversão da vitamina B9 em sua forma ativa. A 5-metil-tetra-hidrofolato ou metilfolato doa seu radical metil (CH3) para a transformação da homocisteína em metionina, que a seguir se tranforma em S-Adenosil Metionina (SAME). A S-Adenosil metionina possui m papel importantíssimo a nível do sistema nervoso, especialmente na regulação do estado de ânimo e humor. Também contribui para a reparação das bainhas de mielina, aumenta ainda a produção de serotonina e melatonina (ação antidepressiva), é um potente antiinflamatório e analgésico e componente necessário à produção de glutationa, um poderoso antioxidante.

A S-adenosil metionina transfere seu CH3 para o DNA (metila o DNA). Esta reação é importante para o adequado desenvolvimento de embriões, o controle de processos de replicação celular, a formação de anticorpos, hormônios, espermatozóides, óvulos e para a redução da homocisteína, dentre outras funções. O aumento da homocisteína no sangue aumenta a infertilidade, o número de abortos expontâneos, o risco de pré-eclâmpsia, doenças cardíacas, estresse oxidativo e doenças inflamatórias

O polimorfismo da enzima MTHFR é relativamente frequente na população. Mulheres com polimorfismos da enzima possuem maior chance de gerarem bebês com síndrome de Down, hidrocefalia, microcefalia ou espinha bífida (Simoni et al., 2013). Como gestantes com polimorfismos de MTHFR não convertem com a mesma eficiência ácido fólico em metilfolato, recomenda-se a suplementação da vitamina na forma ativa. Para suplementação antes e durante a gestação consulte um nutricionista.

Para entender melhor a importância da vitamina B9 na metilação assista o vídeo:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!