Envelhecimento e saúde

Pesquisadores de Harvard definem o envelhecimento "bem sucedido" a partir de três critérios: (1) ausência de doenças; (2) manutenção da capacidade cognitiva e da função física; e (3) engajamento com a vida, socialização e manutenção de propósitos.

Contudo, o estilo de vida moderno nem sempre gera pessoas saudáveis. A verdade é que muitas pessoas atualmente, mesmo aos 30 ou 40 anos, estão em pior condição de saúde do que a geração anterior. Adultos com alto consumo de alimentos industrializados, sedentários ou que ingerem quantidades excessivas de bebida alcoólica provavelmente terão uma pior qualidade de vida do que idosos que adotaram anos antes um estilo de vida mais saudável. É o que vem mostrando um grande número de estudos.  

Quanto à alimentação as recomendações são sempre as mesmas: aumentar o consumo de frutas e verduras para o mínimo de 400 gramas ao dia. Estes alimentos são ricos em flavonóides capazes de reduzir o risco de doenças cardiovasculares, derrame, câncer, diabetes e doenças neurodegenerativas.

Um nutriente que vem sido bastante estudado é a vitamina D. Baixos níveis no sangue estão associados com deterioração da função cognitiva - como menor capacidade de memorização de palavras e números. 

Um objetivo fundamental do envelhecimento saudável é manter a capacidade de locomoção pelo maior tempo possível. Claro, as pessoas que perdem a capacidade de caminhar ainda podem manter a mobilidade através de cadeiras de rodas e dispositivos de apoio, e podem ter uma vida plena e feliz. Mas não há motivo para que a maioria das pessoas não possa continuar andando por toda a vida. Para manter esta habilidade é fundamental que sejamos ativos por toda a vida. Se você está hoje sedentário pense em uma atividade que gostaria de fazer: escalada, karatê, dança de salão, aikidô, musculação, natação, surf, ciclismo, bambolê, corrida, caminhada, yoga, pilates, hidroginástica. Não importa, qualquer atividade que você escolha irá aumentar a sua mobilidade. 

Para quem tem dor nas articulações, seja por lesões anteriores, uso excessivo ou artrite poderá buscar orientação de um fisioterapeuta. A dor não precisa impedir seu movimento. Um profissional poderá te indicar atividades apropriadas como máquinas de remo, tai chi chuan, caminhada na água, passeios curtos ou outras.

Deixe seu comentário.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!