Uso de ervas e temperos reduz o risco de câncer

cancer.jpg

O câncer é uma doença multifatorial. Seu desenvolvimento pode ser desencadeado por fatores internos (genéticos) ou fatores externos. 

Os fatores externos são classificados em 5 grupos:

Grupo 1 - Substâncias causadoras de câncer. Atualmente 120 substâncias fazem parte deste grupo como acetaldeído, aflatoxinas, alumínio, arsênico, asbestos, benzenos, benzopirenos, álcool, formaldeído, helicobacter pylori, vírus da hepatite B e C, HIV-1, HPV, radiação ionizante, carnes processadas, plutônio, rádio-224, rádio-226, rádio-228, rádio-222, infecção por Schistosoma haematobium, radiação solar, tamoxifeno, tabaco, radiação UV, radiação X e gama. 

Grupo 2a - Prováveis carcinogênicos. Atualmente 81 substâncias fazem parte deste grupo como acrilamida, esteródies androgênicos anabólicos, cloral, cloramfenicol, cobalto, dietil sulfato, dimetil sulfato, glifosato, malária, chumbo, nitropireno, nitrotolueno, carne vermelha, tetrafluoroetileno, bebidas muito quentes (acima de 65oC), DDT.

Grupo 2b - Possivelmente carcinogênicos. Atualmente 299 substâncias fazem parte do grupo incluindo: fenobarbital, para-aminoazobenzeno, ácido dimetilarsênico, fenolftaleína, ácido dicloroacético, naftalina, nitrobenzeno, furan.

Grupo 3 - Sem classificação (poucas pesquisas ou pesquisas inconclusivas). Atualmente 502 substâncias fazem parte deste grupo incluindo: fenilbutazona, 6-mercaptopurina, reserpina, actinomicina D, sulfametazina, colesterol, metotrexato, nitrofural, anilina, ampicilina, etileno, cloroetano, bromoetano, ácido acrílico, fenantreno, eugenol.

Grupo 4 - Provavelmente não carcinogênicos: caprolactama, composto usado na produção de nylon-6.

HBC-AS10-cutting-board-srstock-10424071.jpg

Como podemos perceber existem muitos compostos carcinogênicos e provavelmente carcinogênicos aos quais estamos expostos. Desta forma, além de minimizar a exposição precisamos de estratégias que reduzam o risco destas substâncias se tornarem bioativas causando câncer.

Ervas e temperos atuam reduzindo a : (1) ação de micróbios, (2) oxidação de membranas (perda de elétrons), (3) inflamação; (4) bioativação de carcinógenos; (5) tumorigênese (formação de tumores).

Traduzido por Andreia Torres de Kaefer, & Milner, 2008

Traduzido por Andreia Torres de Kaefer, & Milner, 2008

Muitas ervas e temperos são ricos em compostos fenólicos com ações antioxidantes, antiinflamatórias, anticancerígenas, antifúngicas, antibacterianas e antiparasitárias, como as mostradas na tabela a seguir:

Traduzido por Andreia Torres de Opara e Chohan, 2014.

Traduzido por Andreia Torres de Opara e Chohan, 2014.

Utilize mais temperos frescos em suas preparações. Seguem algumas combinações em pratos vegetarianos e não vegetarianos:

  • Açafrão: intensifica o sabor de molhos, carne vermelha, frango, peixes, arroz, sopas, legumes e verduras cozidos.
  • Alecrim: pães, sopas, carnes, molhos e legumes.
  • Cravo: doces (banana, abóbora, canjica), conservas, carne de caça, purê de legumes (batata doce, beterraba, cenoura, abóbora).
  • Canela: doces, purê de banana, purê de maçã, bolos, pães, biscoitos, carne moído, molho de carne.
  • Coentro: camarão, molhos à base de limão, moquecas de peixe e frutos do mar.
  • Semente de coentro: podem ser usadas cruas, tostadas, inteiras ou moídas. Podem ser usadas em temperos que combinam com carnes, cogumelos, bolos, tortas, biscoitos e compotas e frutas.
  • Endro: marinar pescados, aromatizar molhos e dar potência a conservas de peixes e legumes, picles, vinagres e maioneses. 
  • Gengibre: sucos, caldos, sopas, molho para salada, frutos do mar, legumes, quentão.
  • Hortelã: chás, sucos, molhos, geleias, assados e grelhados.
  • Louro: sopas, peixes, feijão, legumes e lombo assado.
  • Manjericão: molhos e carnes em geral.
  • Noz-moscada: com abóbora, com sopas, no espinafre, em massas, caldos, molho branco, risotos, pratos indianos, tortas, bolos, pudins, doces com baunilha, cappucchino, café com leite, leite de soja.
  • Orégano: pizzas, saladas com tomate e pratos à parmegiana.
  • Salsinha: bolinhos, ensopados, recheios de tortas, sopas, caldos, filés grelhados, sopas quentes e frias, purê e salada de batatas. 
  • Sálvia: combina com carne de porco, pato, ganso, aves, canja, cebola, tomate, cogumelos, berinjela, panquecas, pães, biscoitos, polenta, pratos com batata e massas. 
  • Tomilho: carnes, feijão, sopas, saladas, frutos do mar, patês, legumes e frutas na forma de compotas, molho de tomate.
Deixe seu comentário.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!