Comer o que se gosta afeta as emoções

O que comemos, quanto comemos e como comemos afeta a saúde física e mental. Existem estudos suficientes mostrando que uma dieta baseada em vegetais é a que proporciona maior qualidade de vida e longevidade. Contudo, estudos também mostram que o prazer ao comer também é muito importante para o bem estar e para o humor. Estudos mostram que o consumo de grandes quantidades de doces e açúcares afetam negativamente a saúde. Contudo, quando o consumo é moderado, parte de uma dieta saudável, rica em frutas e verduras, não há efeito negativo na saúde (Duyff et al., 2015).

A alimentação consciente pode ser uma forma de adequar o consumo de alimentos que causam prazer a uma pessoa e ainda mantê-la com saúde. A alimentação consciente nos ensina a focar no momento presente, apreciar a comida, seu cheiro, sabor e textura, assim como nas sensações do corpo, incluindo as de fome e saciedade. Pessoas que aprendem a se alimentar mais lentamente, prestando propositadamente atenção a todos os aspectos da alimentação comem menos, mantém mais facilmente um peso saudável e fazem naturalmente escolhas mais saudáveis (Jordan et al., 2014; Beshara, Hutchinson e Wilson, 2013).

E um estudo publicado em 2016 Meier, Noll e Molokwu mostraram ainda a importância de existirem alimentos considerados gostosos no cardápio de quem faz dieta.  Durante a pesquisa 258 estudantes de universidade dos Estados Unidos foram divididos em 4 grupos:

- Comer 14 gramas de chocolate ao leite  (75 kcal) enquanto ouve instrução gravada de alimentação consciente;

- Comer 14 gramas de chocolate ao leite  (75 kcal) ;

- Comer 17 gramas de biscoito tipo cracker (75 kcal) enquanto ouve instrução gravada de alimentação consciente;

- Comer 17 gramas de biscoito tipo cracker  (75 kcal) .

Antes e após o exercício os participantes responderam a uma série de questionários que mostraram que o primeiro grupo (que consumiu chocolate de forma consciente, observando cheiro, textura, sabor, cor, formato etc) tiveram um aumento de sentimentos positivos em relação aos outros grupos. Gostar do alimento mediou parcialmente os resultados, assim como prestar atenção ao alimento.

Estudos mostram que pessoas que incluem na dieta alimentos que gostam conseguem aderir a uma alimentação saudável por mais tempo, emagrecendo mais, controlando melhor a glicemia ou o perfil lipídico e sofrendo menos ansiedade durante o processo. Incorporar técnicas de alimentação consciente à rotina pode levar tempo. Por isto, a prática é fundamental. Escolher mastigar mais, escolher pousar o garfo à mesa, escolher pequenas porções e apreciar todos os aspectos do que se gosta é muito importante.

Você pode aprender mais sobre alimentação consciente baixando o eBook gratuito ou fazendo o curso online, no qual teoria, prática e meditações guiadas unem-se para que uma nova forma de se relacionar com o alimento apareça. 

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags