Curvas de crescimento para crianças com Síndrome de Down

Em 2015 foram atualizadas as curvas de crescimento para pessoas com Síndrome de Down. A atualização é resultado de acompanhamento realizado nos Estados Unidos com 637 participantes; sendo 86% moradores dos estados da Pennsylvania e New Jersey (Zemel et al., 2015). As novas curvas foram comparadas com as antigas propostas por Cronk em 1988 nos Estados Unidos e Styles em 2002, no Reino Unido. 

As curvas de crescimento servem como ferramentas de rastreamento e acompanhamento do estado nutricional de crianças, adolescentes e adultos e também são um meio de comparação com indivíduos sem síndrome de Down.

O novo estudo mostrou que crianças norteamericanas são um pouco maiores e mais pesados do que aqueles dos outros dois estudos realizados nos Estados Unidos e no Reino Unido. No Brasil, o Dr. Zan Mustach propôs em 2002 uma curva para crianças de 0 a 8 anos. De acordo com o pesquisador, as causas do atraso do crescimento relacionam-se com as múltiplas anomalias metabólicas e do sistema endócrino, dentre outros fatores.

Curvas de outros países recebem destaque no artigo de revisão publicado por Bravo-Valenzuela e colaboradores em 2011.

Mais sobre a temática no curso online: alimentação e suplementação na síndrome de Down.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.