Corrida e bem-estar

Meu artigo publicado na revista contra-relogio em 01/07/2014:

A corrida traz uma série de beneficios à saúde. Mesmo assim, nem sempre pessoas fisicamente saudáveis sentem-se bem, porque o bem-estar envolve também componentes subjetivos ou afetivos.

Para atingir o equilíbrio, o corredor deve valorizar a condição física, mas também outros aspectos - emocionais, intelectuais, sociais, ambientais, ocupacionais e até espirituais. Nesse sentido, podemos dizer que o sentir-se bem engloba corpo e mente, e o mais importante: ele pode não surgir espontaneamente. Assim como nos esforçamos nos nossos objetivos de corrida, precisamos deliberadamente incluir em nossas rotinas ações que nos proporcionem mais satisfação geral com a vida. 
Além disso, para manter tal satisfação, alguns comportamentos precisam ser mantidos ou adaptados para que a sensação de felicidade se prolongue. Existem seis componentes-chave a serem trabalhados para que a maior parte das pessoas sinta que a vida vai bem. Adapte-os conforme a sua própria definição e sensação de contentamento.

1. Bem-estar social - É a forma como você se relaciona consigo mesmo e com os outros. Ter relações de apoio e um sentimento de pertencimento é muito importante, por isso, corredores que estão bem socialmente possuem uma rede de amigos e familiares, a quem podem recorrer para obter apoio e compartilhar experiências de vida. Se este item ficou desvalorizado em sua vida nos últimos tempos, reaproxime-se de pessoas importantes para você ou junte-se a um grupo de corrida.

2. Bem-estar físico - Refere-se ao jeito como você cuida do seu corpo. Correr pode ser um exercício muito saudável ou não, dependendo da forma como você o encara. Tenha metas razoáveis, faça tudo para não se machucar desnecessariamente e procure orientação sempre que precisar. Pessoas mais bem condicionadas fisicamente costumam também valorizar alimentos com maior valor nutricional, dormir uma quantidade de horas adequadas para a recuperação do corpo, fazer check-ups médicos de rotina e apropriados para a idade e fatores de risco, além de ter uma vida sexual segura e compatível com os próprios valores e estágio de desenvolvimento físico e mental. Aqui não se fala em ter o corpo "perfeito", já que este não está necessariamente associado a maior bem-estar. Em realidade, o impulso para a perfeição física pode, ao contrário, criar desequilíbrios emocionais e físicos.

3. Bem-estar ambiental - Trata-se da maneira como você se relaciona com o ambiente à sua volta (global e imediato, como sua casa e escritório). Este é um dos aspectos mais negligenciados para chegarmos ao bem-estar. Mas comece a perceber o quanto o ambiente interfere no seu equilíbrio e no seu humor. Onde você se sente melhor? Na academia ou no parque? Em lugares organizados ou desorganizados? Com que tipo de pessoas? Passe a filtrar locais e indivíduos que não lhe deixam bem. E esforce-se para criar ambientes mais harmônicos para você e para os que estão à sua volta.

4. Bem-estar emocional - É a forma como você enfrenta os próprios problemas. Aprender a aceitar os seus sentimentos (bons e ruins), seus pensamentos e atitudes elevam a autoestima e a satisfação geral. Pessoas com maior equilíbrio emocional são capazes de se expressarem adequadamente e gerir toda a gama de sentimentos, incluindo a raiva, o medo, a felicidade e a tristeza. O equilíbrio emocional faz parte de uma jornada de autodescoberta, que pode ser individual ou apoiada por familiares, amigos e até profissionais de saúde. A corrida também contribui para este equilíbrio, pois a melhor condição física e o esforço do exercício ajudam a mente a relaxar, combatendo a ansiedade e o estresse.

5. Bem-estar intelectual - Para muitos, o bem-estar também envolve a realização de coisas ou ser valorizado por nossas competências. Ser capaz de aprender por toda a vida e perseguir novos ou velhos interesses é uma importante característica de pessoas com maior satisfação nesta esfera da vida. Se isso é importante para você, busque atividades que aumentem seu conhecimento, desenvolvam o raciocínio, fomentem o pensamento crítico e ampliem suas visões de mundo. Leia, visite museus, assista a filmes sobre temas interessantes, escreva, encontre novos passatempos ou simplesmente desafie-se na corrida. Que tal correr de forma diferente, por novos caminhos ou com outras pessoas?

6. Bem-estar ocupacional - Estudar ou trabalhar com algo considerado gratificante e significativo, que permita que você cultive ou desenvolva dons, habilidades e talentos, aumenta o conforto ocupacional. O significado pode envolver passar mais tempo em casa educando os próprios filhos ou procurando melhorar seus rendimentos. Não importa, tente alinhar cada vez mais sua ocupação com seus valores e suas metas. Reflita a respeito e tome medidas que o impulsionem na direção almejada.

7. Bem-estar espiritual - Ter um propósito maior de vida, integrado às suas crenças e valores, aumenta o contentamento e a realização pessoal. Isto pode vir da religião, de ações humanitárias, do envolvimento com política, seja em pequenas ações na sua própria comunidade, seja em macropolíticas públicas, pensadas para todos. Pagar as contas deste mês é uma meta importante para deixá-lo melhor, mas e daqui a 20 anos? O que terá tido valor em sua vida?

Alimentos favoráveis

Tudo bem, falar é fácil, mas implementar muitas ações simultâneas costuma estar fora do nosso alcance. Por isso, escolha uma dessas áreas e busque melhorias consistentes e duradouras para que seu bem-estar vá aumentando paulatinamente. Se estiver sem nenhuma ideia sobre como começar, melhore já sua alimentação. Quando nos alimentamos melhor, temos mais energia para realizar outras coisas, nos sentimos fisicamente mais dispostos e descansados, e ficamos com melhor aparência. Descubra, a seguir, alguns alimentos que ajudam o corredor a se manter bem:

Peixes
Possuem proteínas e gorduras do tipo ômega-3, essenciais para o bom funcionamento do cérebro. Também fornecem vitaminas do complexo B, vitamina D e iodo, fundamentais 
para o bom humor.

Apimente sua vida
Pimentas possuem uma substância chamada capsaicina, que tem a capacidade de se ligar a receptores no cérebro e diminuir inflamações. O cérebro também responde à capsaicina, liberando endorfinas, hormônios com efeito calmante e prazeroso.

Frutas e verduras
Não fuja delas porque, além de fornecerem vitaminas e minerais antioxidantes, são fontes de fitoquímicos essenciais para a proteção de nosso material genético (DNA) e aumento de nosso bem-estar e longevidade. Você pode fazer a ingestão in natura, em sucos, sopas ou tortas. Mas coloque algo cru diariamente 
em sua vida, pois quanto menos aquecido estiver este tipo de alimento, mais enzimas e vitaminas fornecerá ao seu organismo.

Valorize os bons carboidratos
As dietas pobres em carboidratos voltaram à moda. Porém, você é um corredor e precisa de energia para alimentar seus músculos e cérebro. Caso o consumo de carboidratos fique muito aquém do esperado, a produção de serotonina é comprometida, o humor piora e a qualidade do sono se reduz. Por isso, se você eliminou pães 
e massas, dê atenção especial às frutas e verduras, especialmente antes e depois das corridas.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!