Dietas restritivas vão acabar com sua tireóide!

As férias de verão estão chegando e muita gente se desespera para emagrecer. Aí voltam à moda a dieta do suco, da melancia, da sopa, da proteína, do shake, das 500 kcal. As revistas ganham um monte de dinheiro com manchetes como: "perca 10 kg em 1 mês". E você sabe bem que nada disso vai funcionar então caia fora! Dietas super restritivas causam vários desequilíbrios no organismo, como a inibição da enzima da tireóide deiodinase 2, cuja principal função é converter o hormônio T4 (tiroxina) em T3 (triiodotironina), que é fundamental para a queima de gordura e para o emagrecimento. Mas quanto maior é a restrição de calorias e carboidratos na dieta menos T3 será produzido, o que desacelera o metabolismo e acaba com as chances de emagrecimento. E você já deve ter visto isto, gente que não come nada e também não emagrece nada!

Se você fizer um exame de sangue, a concentração de T3 estará baixinha, claro. A solução? Comer mais. Se não voltar a comer não emagrecerá. E o pior, se entregar seus exames a um profissional de saúde inexperiente ele te receitará T3. E olha que loucura: o uso de T3 exógeno em altas doses (na forma de medicação) vai inibir sua tireóide. O provável é que ela nunca mais volte a produzir T3 e você ficará dependente da medicação até para conseguir manter o peso atual... Este uso do T3 também pode causar perda de massa magra e óssea e arritmias cardíacas.

Quer naturalmente estimular a conversão de T4 em T3? Aumente o consumo de calorias, carboidratos (aveia, arroz integral, batata doce, frutas) e selênio, presente em grande quantidade na castanha do Brasil. 

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!