Carnes processadas e risco de câncer

O relatório da OMS sobre a associação da carne processada levantou muita polêmica. Acho que falo aqui no blog deste assunto desde 2010. O processamento com nitratos e nitritos e a cocção a altas temperaturas aumentam sim o risco de câncer. Ou seja, o problema não é a gordura da carne ou da dieta mas a presença de substâncias extremamente danosas à saúde, dentre elas as aminas heterocíclicas.

No relatório destaca-se que o consumo de 50g diários de carnes vermelhas ultraprocessadas (2 fatias de bacon grandes, 3 fatias de salame, 1 ½ fatia média de mortadela ou presunto) pode aumentar em 18% o risco para desenvolver câncer colorretal (atenção seguidores da dieta Dukan, o importante não é só emagrecer, mas também cuidar da saúde!).

A OMS não recomenda a exclusão geral das carnes uma vez que as mesmas também são fonte de proteína, ferro e vitaminas do complexo B. Contudo, lembre que o consumo excessivo eleva o colesterol e aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Obviamente o desenvolvimento do câncer e da doença cardiovasculares não aparece de uma hora para outra e nem é desencadeado por um único fator. Estilo de vida sedentário, estresse, baixo consumo de frutas e hortaliças, tabagismo e genética também contribuem para o aparecimento destas doenças.

O bafafá se deu porque a OMS colocou as carnes processadas no grupo I (certamente carcinógênicas) e as carnes vermelhas no grupo II (provavelmente carcinogênicas). Isto iguala as carnes processadas ao cigarro. Mas veja, nunca se falou que o risco de desenvolvimento de se desenvolver câncer fumando ou consumindo mortadela é o mesmo. A única coisa que a OMS declara agora é que há certeza de que ambas as coisas são um problema. A organização não está avaliando o "tamanho"do risco. Só está dizendo que as evidências são conclusivas. Fumar aumenta em 2.000% o risco de câncer de pulmão e consumir carnes processadas aumenta em 18% o risco de câncer de cólon. Pode parecer então irrelevante, mas não é. Além do câncer de cólon ser uma doença horrorosa ela leva a 34.000 mortes no mundo por ano. Contribui também com cerca de as mortes por doenças cardiovasculares e diabetes. Falo no vídeo abaixo sobre os alimentos mais e menos protetores:

Minha recomendação é de eliminar da sua casa as carnes processadas. Elas devem ser comida de festa. Quando você for a uma confraternização e estiver com fome, coma um salgadinho. Mas não é algo para se comer todo dia, muito menos algo para dar para seu filho todo dia.

E a substituição do presunto pelo "presunto de peru, de chester, de frango"? Vai ter menos ferro heme (que aumenta o estresse oxidativo, a produção de radicais livres e uma série de doenças) mas vai continuar tendo nitratos e outros preservativos prejudiciais à saúde. Quer consumir uma proteína animal no lanche? Substitua pelo frango ou peixe (assados ou cozidos) ou pelo ovo. Se preferir consumir uma proteína vegetal você pode incluir grão de bico, feijão, tofu, cogumelos... Para receitas de hambúrgueres caseiros vegetarianos clique aqui.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!