Dieta e arritmias

Como sou a rainha das arritmias este assunto sempre me interessa. Há muitos anos optei por não usar nenhum tipo de medicamento. Após algumas tentativas sem bons resultados acabei ficando preocupada com os possíveis efeitos colaterais. Como sou uma pessoa saudável (peso adequado, fisicamente ativa, exames todos ok) meu médico concordou e hoje apenas faço exames de rotina uma vez ao ano e me cuido com as dicas abaixo. Se o seu coração também bate em um ritmo todo próprio tenho algumas dicas para você:

  • Evite produtos estimulantes. Bebidas ricas em cafeína, como café, alguns tipos de chá, refrigerantes e chocolate podem acelerar seu coração ainda mais. A cafeína também pode estar presente em medicamentos e suplementos, por isto, sempre converse com seu médico e com seu nutricionista sobre o uso de qualquer produto não prescrito.
  • Mantenha um peso saudável.  Quanto maior for seu peso mais seu coração precisará trabalhar e isto pode se manifestar com mais arritmias ou até maior fibrilação. Se você estiver tendo problemas com seu peso consulte um profissional capacitado na área e não deixe de praticar exercícios. Porém, consulte seu médico antes de iniciar qualquer programa diferente. 
  • Cuidado com o estresse! Sabia que 54% dos pacientes com fibrilação atrial intermitente relatam a ansiedade e o estresse como o principal fator desencadeador do problema? Por isto, durma bem e teste estratégias que o ajudem a lidar com o estresse como yoga, terapia, música...
  • Limite o consumo de álcool. Durante o metabolismo de bebidas alcoólicas subprodutos tóxicos para o coração são produzidos. Neste percurso vários hormônios associados ao estresse são liberados aumentando os episódios de arritmia.
  • Não fume! A nicotina é um estimulante cardíaco poderoso e agrava as arritmias. 
  • Dose anualmente seu colesterol. Artérias entupidas agravam o problema. Recomenda-se um check-up cardiológico anual. Nele um lipidograma completo será solicitado. Seu médico e seu nutricionista o ensinarão a decifrá-lo.
  • Diminua o consumo de sal. Dietas com alto conteúdo de sódio agravam o problema. Por isto, diminua o sal e aumente o uso de ervas aromáticas em suas preparações. Evite também alimentos enlatados e embutidos, riquíssimos em sal. Outra estratégia é trocar queijos (em geral ricos em sódio) pelo iogurte natural ou grego. Nele você pode adicionar temperos naturais e fazer deliciosos molhos.
  • Consuma frutas frescas nos lanches. A deficiência de potássio é uma das causas das arritmias. Uma forma fácil de acabar com o problema é aumentar o consumo de frutas in natura ou de suco verde.
  • Inclua castanhas no cardápio. Se as frutas não te saciam adicione também 2 a 3 castanhas no seu lanche. Elas são ricas em gorduras boas, que protegem o coração e as artérias.
  • Troque as carnes vermelhas por peixes. Estes possuem proteínas de mais fácil digestão, menos colesterol, menos gordura saturada e mais ômega-3, um tipo de gordura com propriedades antiinflamatórias. 
  • Substitua o arroz branco pelo arroz integral. Cereais integrais contém mais fibras, as quais protegem seu organismo contra uma série de doenças, conferem maior saciedade e evitam a absorção de colesterol no intestino.
  • Hidrate-se adequadamente. Se a sua dieta não for restrita em líquidos observe bem a quantidade de água que ingere ao dia. Tanto a desidratação quanto a  hidratação exagerada não são boas para o seu coração. Converse com seu médico, principalmente se estiver ficando inchado ou com falta de ar. 

Saiba mais sobre as arritmias:

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!