Soja: amiga ou inimiga da saúde?

A alta concentração de fitoestrógenos da soja chamaram a atenção de muitos pesquisadores em todo o mundo. Estudos preliminares haviam mostrado que a substância estava associada à redução do colesterol, à diminuição das ondas de calor em mulheres na perimenopausa, à prevenção do câncer de mama e  próstata e ao combate à obesidade e osteoporose.  Contudo, estudos mais recentes trouxeram dúvidas quanto a estas alegações. Pesquisa publicada em 2006 pela American Heart Association ( AHA)  mostrou que o consumo de 50 gramas de soja por dia diminui o LDL colesterol em apenas  3 %. Esta quantidade de soja equivale a 1,5 kg de tofu ou  8 copos de leite de soja por dia, quantidades extremamente grandes na dieta da esmagadora maioria das pessoas. Está certo que indivíduos que consomem soja tendem a consumir menos carne vermelha e outros alimentos ricos em gordura saturada, o que contribui  para a redução do colesterol. O mesmo estudo analisou o uso das isoflavonas na redução dos sintomas da menopausa e concluiu que era improvável que tais substâncias tivessem atividade estrogenica suficiente para ter um impacto importante neste caso. A instituição não indica também o uso de suplementos de isoflavonas. Mesmo assim, o assunto não é consenso entre os pesquisadores da área. Quanto ao câncer, os estudos são ainda mais controversos. Enquanto alguns apontam benefícios pequenos outros não encontram esta associação. Meta-análises recentes mostraram ser mais importante manter um peso saudável, evitar o consumo de álcool, diminuir o consumo de carne vermelha e aumentar o de vitamina D. Outros estudos, mostram ainda que a soja poderia estimular o crescimento de células cancerígenas nas mamas.

Ainda sobre este assunto, o tempo  de ingestão de soja pode fazer a diferença. Estudo de Shanghai identificou que as mulheres com maior ingestão de proteína de soja por toda a adolescência e início da idade adulta tinham  um risco 60 por cento menor de desenvolver câncer de mama na pré-menopausa do que as mulheres com  menores consumos deste alimento.

Em homens, meta-análises de 2005, 2007 e 2009 mostraram que o consumo de soja levou à redução do câncer de próstata. De qualquer forma, os resultados parecem melhores com o consumo de soja fermentada na forma de tofu, missô ou tempeh. Nestas formas e em quantidades pequenas, não existem efeitos adversos em homens.

Livros:

Marketing Nutrition: Soy, Functional Foods, Biotechnology, and Obesity (The Food Series) 

- Soya beans recipes

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!