Acordo para a redução do sódio dos alimentos

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), Edmundo Klotz, assinaram hoje acordo para redução da quantidade de sódio em alguns alimentos (requeijão cremoso, sopa instantânea, sopa pronta para consumo e para cozimento, queijo mussarela, empanados, hambúrguer, presunto embutido, linguiça, salsicha e mortadela). A meta do governo em relação ao sódio é de, por exemplo, passar de 587miligramas (mg) de sódio por 100g de requeijão cremoso em 2014 para 541mg por 100g em 2016. Esse é o quarto acordo firmado entre o Executivo federal e os fabricantes de alimentos desde 2011 com o mesmo objetivo. Nos tratados anteriores, alimentos como pão de forma, macarrão instantâneo, batata frita, maionese, biscoito recheado, margarina, cereais matinais e temperos para massa e arroz também tiveram a quantidade de sódio reduzida.

O sódio é o principal componente do sal de cozinha. Para a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo diário de sódio deve ser de menos de dois gramas por dia, equivalente a uma colher de chá ou cinco gramas de sal. Porém, o consumo médio de sal pelo brasileiro é de 12 gramas ao dia, mais que o dobro sugerido, elevando o risco de hipertensão (Dishy et al., 2003Suckling et al., 2012), estresse oxidativo, doenças cardiovasculares (como infarto) e câncer de estômago (Wang, Terry e Yan, 2009). Existem evidências de que dietas com menos sódio melhoram a função endotelial dos vasos (Dickinson, Jennifer e Keogh, 2009; 2014; DuPont et al., 2013).

O sódio, nos alimentos industrializados, está presente no sal, em conservantes (nitrito de sódio e nitrato de sódio), adoçantes (ciclamato de sódio e sacarina sódica), fermentos (bicarbonato de sódio) e realçadores de sabor (glutamato monossódico). O consumo de sódio também deve ser reduzido em casa, principalmente diminuindo-se o uso de sal nos alimentos, o qual pode ser parcialmente substituído por ervas e condimentos. Também é aconselhável evitar o uso do saleiro e aumentar o consumo de frutas e verduras, que contrabalanceiam os efeitos deletérios do sódio consumido excessivamente.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.
Tags ,