Envelhecimento e qualidade de vida

O Brasil possui cerca de 9% da população de indivíduos idosos. A partir dos 60 anos, a nutrição é vista como fator determinante para que estas pessoas possam manter uma relação harmoniosa entre os fatores que garantem uma melhor qualidade de vida, como saúde física e mental, satisfação no trabalho e nas relações familiares, disposição, dignidade e longevidade.

Algumas situações podem afetar diretamente o estado nutricional dos idosos, como aspectos econômicos desfavoráveis, isolamento familiar e social, alto consumo de alimentos industrializados ou de fácil preparo, depressão, menor sensibilidade gustativa ou  olfatória, hábitos e preferências alimentares anteriores, demência, sequelas de doenças.

Dois distúrbios nutricionais podem coexistir nesta faixa etária: desnutrição para alguns e obesidade para outros. Ambos estão relacionados com diminuição da qualidade de vida. A desnutrição eleva os índices de mortalidade e aumenta a susceptibilidade às infecções, assim como de osteoporose, fraturas, problemas respiratórios e cardíacos.

Já a obesidade explica o aumento de muitas doenças crônicas como diabetes, hipertensão, câncer de mama, ovário e próstata.

Para amenizar muitos destes problemas deve haver um incentivo para o convívio social; para a adoção de hábitos alimentares saudáveis e para o acompanhamento nutricional periódico, visando a melhoria do estado de saúde, como um todo.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!