Zinco e controle do apetite

O excesso de gordura corporal, principalmente quando concentrada na região abdominal aumenta or risco de desenvolvimento de doenças crônicas como diabetes mellitus e doenças cardiovasculares. Controlar o consumo de alimentos calóricos torna-se~, então, essencial para a boa saúde a longo prazo. Contudo, esta tarefa não é fácil para muitos indivíduos e um dos motivos é a insensibilidade ao hormônio leptina.

Produto do gene ob, a leptina é secretada pelos adipócitos, desempenhando importante papel na regulação da ingestão alimentar e no gasto energético, pois estimula aumento na queima de energia e proporciona saciedade, inibindo neuropeptídios envolvidos na compulsão alimentar (NPY e AgRP), o que leva a uma diminuição do consumo de alimentos. O zinco é um mineral que pode influenciar este hormônio já que é um cofator chave para a expressão do gene ob. Por isto, restrições de zinco levam a diminuição das concentrações plasmáticas de leptina. Alimentos ricos em zinco incluem as ostras, o espinafre, a carne bovina, o perú assado, as amêndoas, a farinha de soja, frango e alcachofras.

Estudos mostram que suplementos de zinco reduzem a resistência à insulina e fortalecem o sistema imunológico.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!