Insuficiência Cardíaca

A insuficiência cardíaca (IC) é uma síndrome clínica ocasionada por uma anormalidade da função do coração em bombear e/ou em acomodar o retorno sangüíneo, não atendendo às necessidades de oxigênio e nutrientes dos tecidos. Falta de ar, tosse, fraqueza, edema, tontura, palpitação e taquicardia são os sintomas mais frequentes relatados pelos pacientes.

A evolução clínica dos pacientes com IC frequentemente caminha para quadros variáveis de desnutrição, devido a redução da ingestão de alimentos, de alterações absortivas e metabólicas (hipóxia, aumento do gasto energético em até 18%, inflamação). Quanto pior é a desnutrição maiores são as taxas de óbito nestes pacientes. As recomendações de energia para os pacientes com IC clinicamente estáveis e com estado nutricional adequado 28kcal/kg de peso seco (sem edema). Já para pacientes desnutridos recomenda-se 32kcal/kg de peso seco, de forma bem fracionada (6 a 8 refeições/dia) e com volume reduzido, afim de evitar sobrecargas no processo digestivo.

Os carboidratos devem representar em torno de 50 a 60% do valor energético da dieta, preferencialmente complexos, de baixa carga glicêmica, devido à comumente encontrada resistência à insulina nestes pacientes. A recomendação diária de fibra de 20 a 30g previne a obstipação intestinal e o consequente esforço evacuatório.

As necessidades protéicas são de 1,1g/kg/dia para pacientes com estado nutricional adequado e de 1,5g/kg/dia a 2,0g/kg/dia para os com depleção nutricional ou que apresentem perdas por nefropatia ou má absorção intestinal. Lipídios de boa qualidade complementam o valor energético da dieta, devendo-se tomar cuidado com os pacientes com dislipidemias. A ingestão de ômega-3 deve ser aumentada por seus efeitos antiinflamatórios positivos.

A quantidade de sódio oferecida na dieta depende da gravidade da insuficiência cardíaca. No paciente com insuficiência cardíaca severa, a ingestão de sódio deve ser, no máximo, de 2-3g/dia, devendo ser ajustada de acordo com o grau de retenção hídrica, hipertensão e sensibilidade individual ao eletrólito.

Pacientes com insuficiência cardíaca apresentam baixos níveis de coenzima Q10 no miocárdio. A mesma funciona como um antioxidante e otimiza a produção de energia. Alimentos fontes de Q10 incluem sardinhas, espinafre, brócolis, soja, feijão azuki, pistache e amendoim. A mesma também pode ser suplementada. Doses eficientes ficam em torno de 60 a 120mg/dia.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!