O chá de coca

A primeira coisa que nos oferecem ao pisar no Peru é o chá de coca. De acordo com achados arqueológicos, as folhas são utilizadas a mais de 8.000 anos, são totalmente legais no país e aparentemente inócuas (ao contrário de seu produto purificado, a cocaína). O chá, além de hidratar, contém flavanóides antioxidantes, que reduzem o dano celular e previnem doenças. Além do chá de coca (também chamado mate de coca), mascar as folhas da planta é atividade comum nos Andes. Tanto a extração com água quanto a mastigação liberam substâncias alcalóides com efeitos estimulantes, digestivos, inibidores do apetite e que diminuem os efeitos do "mal da atitude", tão comum em regiões muito altas e onde o volume de oxigênio é menor. O chá é amargo e por isto não agrada a todos. É vendido em todo lugar, assim como folhas de coca, balas de coca, cremes a base da folha de coca... Mas o que gostei mesmo foi o "banho inca" feito no hotel. Na piscina de pedra com água a 40oC e "temperada"com muita folha de coca você pode relaxar sozinho ou acompanhado. Muito bom após um dia de caminhada por Cusco e arredores.

Além disso, 100g de folhas possuem um alto teor de nutrientes:

Carboidratos (49,62 g), Proteínas (12,39g), Fibras (13g), Carotenóides (42,34mg), Tiamina (0,16mg), Riboflavina (0,88mg), Vitamina C (16,7mg), Niacina, (26 mg), Cálcio (1.550mg), Fósforo (209mg), Ferro (4,2mg), Potássio (0,96mg).

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!