Circunferência da cintura aumentada na infância aumenta o risco de síndrome metabólica em fases posteriores da vida

Estudo publicado no International Journal of Obesity, mostrou que crianças com circunferência da cintura aumentada (acia do percentil 75 para idade e sexo) possuem entre 5 e 6 vezes mais chances de desenvolverem a síndrome metabólica quando adultos.  O estudo analisou os dados de 2.188 Australianos por 20 anos, desde 1985. No início da pesquisa os indivíduos tinham de 7 a 15 anos de idade. Outros estudos já  haviam feito este tipo de acompanhamento porém analisando a repercussão do índice de massa corporal aumentado em outros estágios da vida.  Este novo estudo analisou o que acontecia com os adultos se, quando crianças, a circunferência da cintura estava acima do esperado. Os autores do estudo chegaram a conclusão que a medida da circunferência da cintura é uma melhor forma de se avaliar o risco cardiovascular e de síndrome metabólica, por isto, orienta que nos consultórios esta medida passe a ser avaliada tanto em crianças quanto em adolescentes afim de que medidas preventivas ou corretivas possam ser adotadas o quanto antes.
Fonte: M D Schmidt, T Dwyer, C G Magnussen, A J Venn.Predictive associations between alternative measures of childhood adiposity and adult cardio-metabolic healthInternational Journal of Obesity, 2010.
Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!