Óleo de peixe combate inflamação e resistência à insulina

Pesquisadores da Universidade da Califórnia identificaram os mecanismos moleculares por trás dos benefícios do óleo de peixe. O artigo foi publicado no dia 3/9/2010 na revista Cell.

Os pesquisadores encontraram um receptor chave  (GPR120) nos macrófagos encontrados abundantemente no tecido adiposo de obesos. Macrófagos são células brancas especializadas na fagocitose e destruição de patógenos. Parte de sua resposta envolve a secreção de citocinas e outras proteínas que causam inflamação.

O tecido adiposo de obesos contém quantidades enormes de macrófagos que produzem tais citocinas aumentando a inflamação nestes indivíduos e contribuíndo para a resistência à insulina. O GPR120 é um dos sinalizadores moleculares envolvidos em numerosas funções celulares. Quando é desligado os macrófagos produzem mais substâncias inflamatórias. De acordo com o artigo os ácidos graxos ômega-3, presentes no óleo de peixe, ativam estes receptores, resultando em um efeito anti-inflamatório potente.

Contudo, o Dr. Olefsky diz que mais pesquisas são necessárias afim de definir as doses mais eficientes e seguras já que o consumo de óleo de peixe em quantidades excessivas aumenta o risco de sangramentos e até derrames em algumas pessoas.

Na figura: o macrófago.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.