Ração Humana: Jogada de marketing

Ração Humana. Nunca achei que esse nome ia pegar já que uma das coisas mais importantes na alimentação é o sabor. Mas onome chamou a atenção e tem dado certo. Os fabricantes estão muito felizes, é muito fácil encontrar em tudo quanto é loja de produtos naturais, na internet então... Mas o que é isso? A ração humana na verdade é uma mistura de vários alimentos que os nutricionistas já indicam há anos: gergelim, quinua, germe de trigo, soja, levedo de cerveja, agar agar e outros, variando de fabricante para fabricante. O ponto principal é que você não precisa comprar, você pode fazer sua própria mistura de sucesso em casa. Além disso, ao contrário do que dizem por aí, não deve ser utilizada em excesso já que fibras além da conta interferem na absorção de minerais fundamentais ao bom funcionamento do organismo e ao emagrecimento como zinco, magnésio e cálcio. 

Por falar em emagrecimento tenho lido reportagens que prometem perda de até 8 kg em pouco tempo com o uso da ração. Verdade? Claro que não, a não ser que vários outros hábitos sejam modificados. O que adianta acrescentar fibras e vitaminas e continuar na batata frita e chocolate? Nada! No consultório eu vivo falando da quinoa e de outros cereais integrais pois os mesmo realmente melhoram o funcionamento intestinal, logicamente associados ao consumo adequado de água, além de diminuírem a absorção de colesterol. Além disso dão saciedade, o que é realmente muito bom para quem está em processo de emagrecimento. Mas realmente prefiro que você prepare em casa, sabe-se lá como estão sendo feito estas misturas. Aliás, já tivemos muitos problemas no passado com a utilização da multimistura, lembram? 

E não se enganem, a ração humana não alimenta como a ração animal, que você compra para o seu gato ou cachorro. Ela deve ser utilizada junto às refeições: no suco, vitamina, iogurte, sopa, feijão. Se for malhar aumente a energia (valor calórico) do produto batendo com uma fruta, leite de soja e duas colheres de sopa da sua mistura. Acabou? Use quinoa, granola ou aveia. Já se você for competir fique longe destas ou qualquer outra fonte de fibras. Pessoas muito sensíveis ao alto consumo de fibras ou mesmo com doenças inflamatórias intestinais em fases críticas ou indivíduos em preparos para certos exames ou cirurgias do trato digestório também devem evitar estímulos adicionais. Ou seja, ração não é bom para todo mundo!

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!