Dieta e pré-eclâmpsia

Um composto químico presente em alimentos não pasteurizados (ergotioneína) foi encontrado em grande quantidade no sangue de mulheres com pré-eclâmpsia, condição grave que cursa com aumento da pressão arterial, retenção hídrica e perda de proteínas pela  urina. A ergotioneína é produzida por fungos que podem estar presentes, por exemplo, no leite. Como não é sintetizado no nosso corpo a fonte é mesmo a dieta. Apesar da ergotioneína ser um antioxidante, no caso de gestantes a alta concentração parece ser mesmo um indicador de risco por isto alimentos não pasteurizados são desaconselhados. 

Outra dica é consumir mais fibras já que as mesmas diminuem o risco de desenvolvimento de pré-eclâmpsia, condição de muito risco para mãe e bebê.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!