Colesterol bom pode virar medicamento

Pesquisadores da Universidade Northwestern, nos Estados Unidos, conseguiram pela primeira vez sintetizar o HDL (High-Density Lipoprotein), o chamado "bom colesterol". Na forma medicamentosa, o HDL sintético deverá ajudar a combater problemas crônicos de baixos níveis do colesterol que podem levar a doenças cardíacas fatais. O HDL sintético é formado por nanopartículas (partículas com dimensões ao redor de 1 bilionésimo de metro, ou 1 nanômetro) de ouro revestidas de proteína e lipídios. Sua composição e dimensão (18 nanômetros) são similares ao HDL natural sendo capaz de se ligar irreversivelmente ao colesterol evitando o surgimento da arteriosclerose.

De acordo com os autores, o medicamento foi proposto pois baixar o "colesterol ruim"(LDL) é fácil, mas aumentar o bom (HDL) é mais difícil. Estratégias como emagrecer, diminuir o consumo de carne, melhorar o consumo de gorduras boas (presentes em alimentos como azeite, castanhas, abacate e açaí) e cortar os alimentos industrializados funcionam para diminuir o colesterol ruim. Porém a estratégia nem sempre aumenta o HDL. Mesmo com a prática regular de atividade física algumas pessoas continuam com o mesmo mais baixo do que o esperado.

Medicamentos para diminuir o LDL já existem mas ainda não haviam medicamentos capazes de aumentar o HDL. Agora, esta pesquisa, que foi publicada no Journal of the American Chemical Society (JACS), pretende preencher esta lacuna.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!