Gestantes: fiquem longe da cafeína

De acordo com um estudo publicado no site do British Medical Journal, o consumo de cafeína durante a gestação aumenta o risco do bebê nascer com baixo peso. Apesar de alguns outros estudos também terem demonstrado o mesmo, esta nova pesquisa mostra que qualquer quantidade de cafeína - vinda de café, refrigerantes a base de cola ou guaraná, cacau e até medicamentos - podem ter o mesmo efeito.

No estudo as gestantes consumiram em média 159mg de cafeína ao dia, menos do que o limite diário máximo recomendado (300mg/dia) pelo governo no país do estudo, a Inglaterra. A maior parte da cafeína consumida (62%) veio dos chás, seguidos do café (14%), chocolate (8%), e outros, incluindo refrigerantes (14%). A maioria dos bebês nasceram atermo (aos 9 meses de gestação) e com um eso adequado (3.450g), porém dentre os que nasceram prematuros ou com baixo peso, o risco foi maior quanto maior era o consumo de cafeína. Comparado às mães que ingeriram menos de 100mg de cafeína ao dia (o equivalente a uma xícara de café), aquelas que tiveram uma ingestão entre 100 e 199 mg/dia tiveram um risco 20% maior de bebês com baixo peso e o risco aumentou chegando a 50% dependendo da dosagem de cafeína consumida pela gestante. O efeito também foi maior nas mulhers que metabolizavam a cafeína mais rapidamente. Baseados nestas evidências, de toxicidade para bebês, o governo inglês alterará as recomendações de doses máximas de 300mg para 200mg ao dia.

Fonte da imagem:

http://i.l.cnn.net/cnn/2008/HEALTH/conditions/01/21/hfh.caffeine.miscarriage/art.pg.coffee.gi.jpg

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags