Suplemento de soja pode atrapalhar tratamento contra o câncer de mama

De acordo com notícia publicada ontem no site da Universidade de Illinois, o uso de suplemento de soja deve ser repensado em mulheres em tratamento com inibidores da enima aromatase. Isto porque a genisteína, uma isoflavona da soja que imita os efeitos do hormônio sexual feminino estrógeno, pode diminuir a eficiência dos inibidores de aromatose, que visam justamente diminuir os níveis de estrogênios no organismo. Estes estrogênios poderiam promover o crescimento do tumor em alguns tipos de cânceres de mama. O estudo foi publicado na revista científica Carcinogenesis no dia 16/07/08.

Os inibidores da aromatase são drogas que interferem com a enzima aromatase, a qual catalisa (acelera) um passo essencial na conversão de moléculas de estradiol em estrogênio. Cerca de 2/3 dos cânceres de mama são dependentes de estrogênio ou sensíveis ao estrogênio, o que significa que na presença do hormônio o tumor cresce mais rapidamente. A maior parte das mulheres diagnosticadas com câncer de mama já passaram da menopausa, então seus ovários não são mais capases de produzir níveis normais de estrogênio. Outros tecidos, contudo, produzem o hormônio esteróide androstenediona que, com a ajuda da aromatase, é convertido em testosterona e estrogênios. 

Os pesquisadores responsáveis por este estudo realizaram uma série de experimentos em ratos com doses variadas de estrogênio. Primeiramente, os animais receberam androstenediona, hormônio que é convertido a estrogênio. Isto permitiu a determinação da taxa de crescimento máxima dos tumores nas mamas. Depois uma droga inibidora da aromatase (letrozola) foi administrada. Esta droga é comumente utilizada em mulheres com câncer de mama. O tratamento das ratas com a droga inibiu os efeitos da androstenediona e as células cancerígenas pararam de crescer. Porém, quando a genisteína foi adicionada, foi observada uma redução na efetividade do medicamento e os tumores voltaram a crescer. Quanto maior era a dose do suplemento mais rápido era o crescimento das células cancerígenas. 

O problema é que muitas mulheres tomam suplementos de soja afim de aliviar os sintomas da menopausa. De acordo com os pesquisadores, estes compostos da soja não são completamente entendidos. Assim, como a soja, outros suplementos com fitoestrógenos também precisam ser utilizados com cautela em mulheres com histórico pessoal ou familiar de câncer de mama.

De acordo com a nutricionista Marcia Regina Vitolo, a prescrição de isoflavonas da soja ainda é uma questão bastante controversa. Atualmente, os discretos efeitos na síndrome climatérica e no metabolismo ósseo não preenchem os requisitos necessários para serem consideradas alternativa à terapia de reposição hormonal na menopausa. 

Para saber mais: 

* Young H. Ju , Daniel R. Doerge , Kellie A. Woodling , James A. Hartman , Jieun Kwak , and William G. Helferich. Dietary Genistein Negates the Inhibitory Effect of Letrozole On The Growth Of Aromatase-expressing Estrogen-Dependent Human Breast Cancer Cells (MCF-7Ca) In Vivo. Carcinogenesis Advance Access published on July 16, 2008, Disponível em: http://carcin.oxfordjournals.org/cgi/content/abstract/bgn161

* Márcia Regina Vitolo, Nutrição da gestação ao envelhecimento. Editora Rubio, 2008, p. 410-411.

Fonte da imagem: http://www.virtualcancercentre.com/uploads/VMC/DiseaseImages/1250_Breast_LCIS_Med.jpg

Livros recomendados:

Anticâncer

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.