Exposição ao Arsênico pode aumentar o risco de Diabetes

O arsênico inorgânico, semimetal encontrado naturalmente no solo e nas rochas, pode aumentar o risco de desenvolvimento de Diabetes tipo 2. De acordo com estudo divulgado por pesquisadores do JHSPH e publicado no JAMA o arsênico pode contaminar a água e alimentos como farinhas e arroz. Isto ocorre não só devido ao arsênico natural do solo mas também à poluição dos mares e rios pela indústria e também ao uso de agrotóxicos que contenham arsênico.

Na pesquisa do JHSPH foram examinadas as concentrações do arsênico na urina de 788 americanos acima de 20 anos. Os resultados foram ajustados para fatores de risco para o diabetes. De acordo com os pesquisadores indivíduos com diabetes tinham um nível de arsênico 26% maior do que em não diabéticos. Outros estudos ainda precisam ser feitos para averiguar se a quantidade de arsênico na urina é causa ou consequência do diabetes. Nos EUA o consumo do composto varia de 8,4 a 14 microgramas por dia porém é no sul e no sudeste da Ásia que se observam a maior parte da contaminação pelo semimetal. Além do provável risco aumentado para diabetes, a contaminação por arsênico causa aumento do risco de alguns tipos de câncer, como os de pulmão, bexiga e pele.

Para saber mais:

BBC Brasil - Arsênico na água ameaça 140 milhões, dizem cientistas

JAMA - Arsenic Exposure and Prevalence of Type 2 Diabetes in US Adults

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!