Cuidado com o consumo de ostras

Uma bactéria infecciosa encontrada em ostras e outros frutos do mar é capaz de matar as células do hospedeiro, fornecendo ao invasor uma refeição rica em nutrientes. A bactéria, uma "parente" do vibrião colérico é o Vibrio parahaemolyticus, a principal causa de doenças infecciosas em indivíduos de baixa renda na Ásia. É preocupante principalmente em indivíduos com doenças hepáticas e naqueles imunossuprimidos. A bactéria é destruída com a cocção porém se você tem o hábito de consumir ostras in natura, cuidado!

De acordo com a Dr. Kim Orth (foto) do centro médico UT Southwestern a bactéria se espalhou pelos mares do mundo inteiro após o furacão Katrina (2005). O mecanismo molecular pelo qual o patógeno infecta, mata e captura os nutrientes da célula ainda não é completamente compreendido porém vem sendo cada vez mais estudado em virtude do aumento do número de casos. Apesar de menos perigoso do que o vibrião colérico, o vibrio parahaemolyticus causa sintomas similares incluindo diarréia, náuseas, vômito e febre. Em geral, os indivíduos recuperam-se totalmente após 3 dias com repouso e aumento da ingestão de fluidos. Porém pode ser fatal em indivíduos com o sistema imune deprimido.

Para saber mais: http://www.utsouthwestern.edu/utsw/cda/dept353744/files/482578.html

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.
Tags