Excesso de ferro atrapalha desenvolvimento infantil

Um novo estudo sugere que a complementação de ferro (na forma de suplementos, medicamentos ou alimentos) em crianças que não são anêmicas pode atrasar o desenvolvimento das mesmas.

A deficiência de ferro é comum no mundo inteiro. Na gestação contribui para a prematuridade, o baixo peso ao nascer e outras complicações. Porém, pesquisadores da Universidade de Michigan mostraram que bebês alimentados com leite com 12 mg/L de ferro tiveram um desenvolvimento visual, motor e cognitivo menor do que aqueles alimentados com fórmulas com menos ferro.

Os autores do estudo que acompanharam 494 crianças chilenas por 10 anos ainda não estão seguros de que as recomendações de ferro deveriam ser modificadas já que novas pesquisas fazem-se necessárias. Porém, mas uma vez se mostrou a importância da não utilização de complementos, suplementos ou medicamentos sem uma consulta ao seu médico e ao seu nutricionista.

Artigo adaptado de

Medical News Today.

O trabalho "Poorer developmental outcome at 10 years with 12 mg/L iron-fortified formula in infancy," será apresentado no Encontro anual da Sociedade de Pediatria em Honolulu em maio de 2008.

Para mais informações: http://www.chgd.umich.edu/

Fonte da imagem: http://a.abcnews.com/images/Health/pd_bottle_070806_ms.jpg

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!