Gordura no Fígado? Melhore sua dieta e reverta o problema

O fígado é um órgão indispensável ao funcionamento do nosso corpo já que desempenha funções essenciais à vida como:

- Produção de proteínas;

- Armazenamento de glicose (açúcar), vitaminas e minerais;

- Produção de bile (que auxilia a digestão das gorduras);

- Síntese de colesterol;

- Desintoxicação de drogas, medicamentos e outras substâncias químicas.

Doenças no fígado podem ser causados por fatores que incluem o consumo excessivo de álcool, a infecção pelo vírus da hepatite, o abuso de drogas, o diabetes e a obesidade. A alimentação errônea também pode provocar alterações no órgão, como o acúmulo de gordura (ou esteatose hepática) que se manifestam com dor, desconforto abdominal e aumento do tamanho do órgão. Estas alterações podem progredir trazendo sérias consequências à saúde, já que o aproveitamento de virtualmente todos os nutrientes consumidos será prejudicada, acarretando em muitos desequilíbrios orgânicos.

Para o diagnóstico da esteatose hepática o médico leva em conta os sintomas relatados, as alterações laboratoriais (como elevação das enzimas AST e ALT, fosfatase alcalina e gamaglutamiltransferase), sendo a confirmação feita por exames de imagem como ecografia, tomografia computadorizada ou ressonância nuclear magnética.

Apesar do fígado possuir um alto e rápido poder de regeneração, o excesso de consumo de gordura pode levar à esteatose não-alcoólica. Neste estágio a reversão do quadro dependerá de mudanças no estilo de vida incluindo atividade física e alimentação saudável. Existem evidências suficientes para afirmar que dietas ricas em gorduras e açúcares (ou dieta fast food, como alguns chamam) pode danificar o fígado. O problema não é a gordura ou açúcar em si, já que estes são nutrientes importantes para o nosso corpo, mas o consumo excessivo das calorias vindas dos mesmos. Uma única refeição de uma cadeia de lanchonetes qualquer pode conter até 2.000 calorias, quantidade suficiente para um dia inteiro!

Cuide-se. Não é tão difícil e você se sentirá muito melhor, mais bem disposto e com mais energia. Os passos para a prevenção e reversão da esteatose hepática de causa alimentar (ou não alcoólica) incluem:

1. Limitar o consumo de fast food (pizzas, sanduíches, batata frita a uma vez ao mês);

2. Consumir alimentos mais saudáveis incluindo frutas e verduras no cardápio, diariamente;

3. Limitar o consumo de refrigerantes e bebidas alcoólicas;

4. Fazer um check-up cardiológico e iniciar a prática de atividade física regular e moderada afim de manter o peso dentro de limites saudáveis;

5. Retornar ao hepatologista e repetir os exames de sangue para averiguar a redução de enzimas hepáticas;

6. Procurar um nutricionista para orientar sua dieta em termos calóricos e quanto aos tipos de alimentos mais apropriados para cada horário do dia.

Artigo recomendado:

Lustig (2013). Fructose: it's "alcohol without the buzz". Advances in Nutrition. Disponível em: www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3649103/

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!