A influência da genética na obesidade

Alimentação saudável atividade física moderada fazem parte de um conjunto de estratégias essenciais à manutenção da saúde e da boa forma, especialmente para aqueles que não receberam como herança a facilidade de manutenção do peso.

Algumas pessoas têm maior facilidade de engordar do que outras, inclusive na infância e, em um novo estudo publicado no dia 01/02/2008, no American Journal of Clinical Nutrition, ficou demonstrado que fatores genéticos influem no sobrepeso das crianças mais do que o ambiente. Na pesquisa foram observados 5000 pares de gêmeos idênticos comparando seus genes, peso, altura e circunferência da cintura com os de gêmeos não idênticos.

A análise estatística revelou que 77% das diferenças encontradas podiam ser atribuíveis à genética. Isto não significa que uma criança com susceptibilidade genética irá inevitavelmente se tornar obesa, porém elas estão sim mais predispostas a isto. Por isto o controle ambiental é tão importante e a atividade física e a alimentação saudável devem fazer parte da rotina da família inteira afim de prevenir condições como diabetes e doenças cardiovasculares, principalmente na infância. A longo prazo o controle de peso vai requerer uma combinação de vontade pessoal e esforços da sociedade afim de modificar o ambiente em que vivemos, com estratégias que incluam a construção de parques e áreas de lazer e o limite de fornecimento de alimentos hipercalóricos.

O artigo na íntegra pode ser lido clicando aqui.

Imagem: iStockPhoto

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.