Ginastas mirins: cuidado com a alimentação!

Nesta semana um pai trouxe seu filho de 12 anos, ginasta olímpico para uma consulta. O menino, com peso e altura ótimos para a idade chegou com a queixa de que o técnico acha-o gordo e por conta própria o colocou em uma dieta com poucas calorias e que o deixava várias horas sem ingerir nada, inclusive durante as 4 horas de treino. O resultado: muito cansaço, menor concentração e menos disposição para treinar.

A ginástica olímpica requer força, agilidade, velocidade e elasticidade. Para realizar o longo treino o garoto requer energia. A primeira fonte é o estoque de glicogênio dos músculos. Este estoque não estava sendo reposto de um dia para o outro em virtude do baixo consumo de alimentos, principalmente carboidratos. Além disso, como este ginasta ainda está crescendo temos que ter a certeza de que receberá nutrientes suficientes para crescer e se desenvolver adequadamente.

Por isto, se seu filho está engajado em alguma atividade física preze por sua alimentação e seu desenvolvimento. Isto evitará problemas como anemia, déficit de crescimento e distúrbios alimentares, comuns em esportes como este, principalmente quando o adolescente pretende seguir a carreira como atleta.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.