A TV e a obesidade em crianças

Quanto mais uma criança com idade superior há 3 anos vê televisão, maior é a chance de consumir alimentos pobres em nutrientes como refrigerantes, balas, doces e biscoitos. Resultados como este foram encontrados em diversos países, inclusive no Brasil, e foram mais uma vez, um dos temas dos debates da Associação American de Cardiologia durante a 47º conferência anual sobre doenças cardiovasculares.

De acordo com Sonia Miller, pesquisadora da Universidade de Harvard, para cada uma hora assistindo à TV o consumo de bebidas adoçadas, incluindo suco, aumenta 46,3 calorias/dia. O trabalho demonstrou que além do consumo de alimentos pobres em nutrientes aumentar, o consumo de alimentos mais saudáveis, como as frutas, decresce, mesmo em crianças pequens.

Apesar de 46 calorias ao dia não parecer muito, o acúmulo destas calorias extras pode fazer diferença ao longo do tempo. Alguns autores estimam que o ganho excessivo de peso em adolescentes americanos se deve ao acúmulo durante 10 anos de vida.

Por isto, a recomendação é de que a população em geral (adultos, adolescentes e crianças), limitem os comportamentos sedentários (como assistir à TV, navegar na internet e jogar videogames), a não mais do que 2 horas ao dia e encoraja todos a praticarem uma atividade física por 1 hora, diariamente. Crianças pequenas devem ser incentivadas a brincar.

Conheça meu livro: "O que aprendi em Harvard"

 

www.andreiatorres.blogspot.com

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!
Tags