Como o cérebro estimula a fome?

Pesquisadores da Universidade de Yale, nos EUA, publicaram na revista Cell Metabolism, artigo que demonstra por quê o cérebro responde à falta de alimento deflagrando a sensação de fome. No estudo, camundongos foram submetidos a 24 horas de jejum, o que levou a um aumento de enzimas que estimulam hormônios da tireóide e aumentam a a atividade da proteína UCP2. A ativação deste composto resulta na proliferação de mitocôndrias nos neurônios e aumento da excitabilidade das células do cérebro, levando a um aumento da fome.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar este blog.