Carnitina diminui fadiga em pacientes com câncer

Você sabia que a carnitina pode ser útil para diminuir a fadiga em pacientes com câncer? É isto que propõe a pesquisa publicada no Jornal da Dor. Referência: Cruciani, R.A.; Dvorkin, E.; Homel, P.; et. al. Safety, Tolerability and Symptom Outcomes Associated with L-Carnitine Supplementation in Patients with Cancer, Fatigue, and Carnitine Deficiency: A Phase I/II Study. Journal of pain and symptom management. V. 32, n. 6, P. 551-559. 2006.

A deficiência de carnitina é um dos distúrbios metabólicos que mais contribuem para a fadiga em pacientes com câncer. Assim, especula-se que a administração de L-carnitina exógena pode diminuir este sintoma. Porém, pouco se sabe sobre a segurança, a tolerabilidade e a resposta destes pacientes ao uso do suplemento. A fase 1 deste estudo, publicado em dezembro de 2006, teve como objetivo avaliar a segurança, tolerabilidade e dosagem segura para o uso do suplemento em pesquisas controladas. Pacientes adultos com cancer avançados, deficientes em carnitina (carnitina livre < 35 μM/L em homens e <25 μM/L em mulheres), sintomas de fadiga de moderada a severa e teste de performance de Karnofsky ≥50 foram divididos em grupos de pelo menos três indivíduos. Cada grupo recebeu uma dosagem máxima de L-carnitina (250, 750, 1250, 1750, 2250, 2750, 3000 mg/dia, respectivamente), 2vezes ao dia por 7 dias. A fim de comparar os efeitos decorrentes do uso da suplementação, cada paciente completou um questionário validado com medidas sobre fadiga, depressão, qualidade do sono no início e 1 semana após o término da suplementação. Nenhum paciente reportou efeitos colaterais significativos ou toxicidade, independentemente da dosagem. Como esperado, a análise dos pacientes demonstrou um aumento na concentração plasmática de carnitina total, de 32.8 ± 10 a 54.3 ± 23 μM/L (P < 0.001), e de carnitina livre, de 26.8 ± 8 a 44.1 ± 17 μM/L (P < 0.001). Os testes de toxidade, tolerabilidade e fadiga demonstraram que o suplemento pode ser utilizado com segurança em dosagens de até 3 gramas ao dia e que efeitos positivos são mais bem notados em dosagens superiores.

Comentários: as causas da fadiga em pacientes cancerosos são inúmeras, podendo ser relacionadas à quimio ou radioterapia, à anemia, ou a inúmeros fatores metabólicos. A carnitina, um nutriente encontrado principalmente em carnes e laticínios, tem sua reabsorção prejudicada nos rins devido à alguns agentes quimioterápicos, por isso sua deficiência é comum nestes pacientes. Este estudo demonstrou que a carnitina pode diminuir a sensação de fadiga nestes pacientes, porém, como estudos envolvendo a suplementação de carnitina em pacientes com doenças crônicas são recentes, outros ensaios ainda são necessários a fim de determinar a dosagem do nutriente ideal para cada doença.

Andreia Torres CRN 1685/1

Artigo publicado também no site vp online com permissão da autora.

Dra. Andreia Torres é Nutricionista, especialista em nutrição clínica, esportiva e funcional, mestre em nutrição humana, doutora em psicologia clínica e cultura, pós-doutora em saúde coletiva. Também possui formações no Brasil e nos Estados Unidos em Coaching e Yoga. Para contratar clique na aba consultoria no topo da página. Obrigada por visitar esta página!